01 de julho de 2022
Campo Grande 30º 19º

ELEIÇÕES 2022

Com 60 secretários de saúde em MS, Riedel promete: 'A saúde será nossa prioridade'

A- A+

Cerca de 60 secretários municipais de saúde de cidades do interior de Mato Grosso do Sul se reuniram com o pré-candidato do PSDB ao Governo do Estado, Eduardo Riedel. O ex-secretário de saúde Geraldo Rezende também participou do encontro, que aconteceu no diretório regional do PSDB, em Campo Grande.

“Eu conheço bem todos os 79 municípios de Mato Grosso do sul, já fui em cada um deles, posso dizer que conheço o DNA de MS. A principal demanda que sempre chegou da população ao nosso governo é a melhoria do sistema de saúde e já conseguimos fazer muita coisa nos últimos anos, mas queremos avançar ainda mais”, destacou Eduardo Riedel. 

Para que a saúde esteja em constante desenvolvimento, o pré-candidato disse pretende descentralizar ainda mais o atendimento, fazendo com que cidades polos do interior possam oferecer diversas demandas, agilizando os procedimentos, diminuindo a fila de espera e garantindo rapidez nos atendimentos. 

O ex-secretário de saúde do Estado, Geraldo Rezende, elogiou a postura de Riedel e disse confiar nele como pré-candidato, pois ele tem um vasto conhecimento de todas as áreas e principalmente da saúde. “Precisamos de alguém que sabe como funciona, sabe do que cada município precisa, o que falta nas unidades de saúde de cada cidade. Aqui temos essa pessoa, é o mais preparado”, afirmou.

A secretária municipal de saúde de Santa Rita do Pardo, Maria Angélica Benetasso, que é presidente da Cosems (Conselho dos Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso do Sul), também acredita que Riedel trará muitas melhorias para o Estado. “Riedel terá um governo municipalista e, com certeza, melhorar a realidade do Estado”, pontuou.

Riedel garantiu que pretende ampliar e aperfeiçoar as políticas públicas de regionalização da saúde. "Os municípios que quiserem melhorar a atenção básica também terão nosso apoio por meio de disponibilização de recursos, entre outras ações”, finalizou Riedel.