05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Com ataques ao PT, Cunha rejeita possibilidade de renúncia

Diante do conturbado mandato na Câmara dos Deputados, o presidente da Casa de Leis, deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) rejeitou a possibilidade de renunciar ao cargo. Nesta terça-feira (15), Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na residência  oficial do deputado, em Brasília e na sua casa particular, no Rio de Janeiro.

Com a repercussão da ação da PF, Cunha disse em entrevista à imprensa que a ação é passível de suspeita, já que, segundo ele, o fato ocorreu às vésperas da decisão sobre o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) e do Conselho de Ética sobre a representação contra ele. “Isso causa estranheza a todos nós. Quem for um pouco inteligente sabe que no dia de hoje, às vésperas da decisão do processo de impeachment tem  alguma coisa de estranha no ar, além da situação normal de investigação", disse. 

Cunha reiterou ofensas ao PT dizendo que partido “é responsável por esse assalto que aconteceu no Brasil. O assalto da Petrobrás” provocou o peemedebista ao referir-se aos depoimentos do empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula (PT).

Para Cunha, o fato de ser “desafeto” do governo foi fator determinante para ser investigado. “Nada mais natural que eles vão buscar o revanchismo”, afirma. Na oportunidade, Eduardo Cunha levantou suspeita sobre visita feita pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo à sede da Operação Lava Jato, em Curitiba.

Mandados

Ao todo, a Polícia Federal cumpriu 53 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal , em São Paulo, no Rio de Janeiro , Pará , em Pernambuco , Alagoas , no Ceará e no Rio Grande do Norte (1) como parte da Operação Catilinárias, deflagrada hoje (15) por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. A ação faz parte da Operação Lava Jato. Também foram feitas buscas em endereços de dois ministros: Henrique Eduardo Alves, do Turismo, e Celso Pansera, de Ciência, Tecnologia e Inovação, ambos do PMDB. 

Conselho de Ética

O Conselho de Ética da Câmara votou nesta terça-feira, por 11 votos a 9, a favor do parecer preliminar do deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que mantém representação contra o presidente da Câmara. A decisão dá continuidade à ação. Cunha é acusado dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e por ter prestado falso testemunho quando depôs na CPI da Petrobras negando ter contas secretas no exterior. Cunha será notificado e terá 10 dias para apresentar defesa por escrito no processo disciplinar.

Lava Jato

De acordo com informações do Jornal O Estado de São Paulo, nova fase da Operação Lava Jato irá acirrar ainda mais o cenário político no país. Segundo publicação, auxiliares da presidente Dilma Rousseff (PT) temem reação mais agressiva de Eduardo Cunha. O presidente da Câmara dos Deputados, decidiu aceitar abertura do processo de impeachment da presidente Dilma, após ala do PT ter deixado de o apoiar no Conselho de Ética da Câmara.

Outro fator que tem preocupado o Planalto é a disputa interna pelo comando do PMDB.  Presidente do Senado, Renan Calheiros escapou ileso da operação desencadeada pela PF nesta terça, com isso, conforme petistas, peemedebista ganha fôlego  na batalha pelo controle do partido. De acordo com Estadão, aliados importantes do governo no PMDB, estão entre os alvos da operação Lava Jato, como senador Edson Lobão (PMDB/MA), ligado ao ex-presidente Sarney.

Laranjas de Lula

Em depoimento à Polícia Federal na última segunda-feira (14), o pecuarista e empresário, José Carlos Bumlai, chegado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou à PF que “ realmente acredita’  que o PT tomou empréstimo junto ao Banco Schahin, por meio de laranjas.Conforme  Bumlai, os empréstimos eram destinados à formação de “ caixa dois” para campanhas eleitorais do partido. O depoimento de Bumlai durou mais de 6 horas na sede da PF. Pela primeira vez, o pecuarista admitiu que o PT foi o destinatário de R$ 12 milhões que ele  tomou emprestado do Schahin em 2004. Bumlai foi em 24 de novembro, na Operação Passe Livre. Na oportunidade, o pecuarista  afirmou que o empresário  Salim Schahin, do grupo Schahin foi responsável pelas transações financeiras ilícitas em benefício do PT.

Impeachment

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá nesta quarta-feira (16) sobre o rito de tramitação do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.