22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

Eleições 2016

Com risco tático, Rose vê Marquinhos continuar crescendo

"Críticas à tática e à estratégia da coligação pró-Rose"

A- A+

O discurso exageradamente ácido contra Alcides Bernal (PP) e rebatido com insistência nos últimos dias pode tirar da tucana Rose Modesto as perspectivas de, num eventual segundo turno, contar com o apoio dos eleitores cativos do prefeito.

 Enquanto os programa do horário eleitoral gratuito intensificam a carga contra Bernal, as pesquisas demonstram que apesar do êxito no objetivo de conquistar o segundo lugar, Rose não conseguiu otimizar seu desempenho no mesmo nível de crescimento do líder das intenções de voto, Marquinhos Trad (PSD).

Na mais recente pesquisa do Ipems, divulgada  nesta segunda-feira (26), e em relação à amostragem anterior, Rose isolou-se no segundo lugar, ampliando a vantagem sobre Bernal, porém sem lograr aproximação maior com Marquinhos. Na estimulada, entre os números apurados de 1º a 3 de setembro e os atuais, o candidato pessedista saltou de 35,67% para 40,25%. Rose cresceu bem menos, de 26,15% para 26,18%, enquanto Bernal desceu de 15,53% para 12,16%.

Índices apontam 

Os índices do Ipems evidenciam que Marquinhos aumentou de 9,45 para 14,07 a dianteira sobre Rose. Bernal caiu de 15,53% para 12,16%. Os demais candidatos, conforme situa a pesquisa, não ameaçam os três primeiros. Marcelo Bluma (PV) é o quarto, com 2,20%; Coronel David (PSC), 1,84%; Alex do PT, 1,52%; Athayde Nery (PPS), 0,83%; Adalton Garcia (PRTB), 0,68%; Rosana Santos (PSOL), 0,66%; Aroldo Figueiró (PTN), 0,49% e Pedrossian Filho (PMB), Lauro Davi (PROS) e Elizeu Amarilha (PSDC), 0,17% cada. Suél Ferrant (PSTU) e José Flávio Arce (PCO) não pontuaram.

Desaprovação 

As críticas à tática e à estratégia da coligação pró-Rose, incluídos o formato dos programas e discursos virulentos contra o prefeito no horário gratuito, vêm sendo reprovados por aliados da candidata.

Blogueiros, jornalistas, vereadores, lideranças de vários partidos e militantes de movimentos sociais reconhecem o peso do eleitorado fiel a Bernal, que mesmo com altas taxas de rejeição política e administrativa ainda mantém um expressivo contingente de eleitores, sobretudo nos bairros e camadas mais pobres da população.

A pesquisa Ipems está protocolada na Justiça Eleitoral (MS-09369/20167) e os pesquisadores ouviram 600 pessoas entre os dias 20 e 22 deste mês. A margem de erro adotada é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos, com grau de confiança de 95%.