16 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

CPI da Petrobras inicia sessão em Curitiba para ouvir 7 presos da Lava Jato

A- A+

Começou há pouco a sessão externa da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras que vai ouvir os depoimentos de sete pessoas presas pela Operação Lava Jato em Curitiba (PR). Os depoimentos serão colhidos no auditório do edifício-sede da Justiça Federal na capital paranaense. Os inquéritos correm na 13ª Vara Federal.

O primeiro a depor será o doleiro Alberto Youssef, acusado de ser o principal operador do esquema de lavagem de dinheiro de propina da Petrobras. Serão ouvidos ainda o ex-diretor da área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, e o empresário Fernando Soares, o Fernando Baiano.

Youssef é um dos delatores do esquema. Ele disse, em mais de 50 depoimentos à Justiça Federal, que a propina era paga a diretores da Petrobras e a partidos políticos por empresas contratadas pela Petrobras.

Denúncias
Segundo o doleiro e o também delator Paulo Roberto Costa (ex-diretor de Abastecimento da Petrobras), as empresas contratadas pela Petrobras se organizaram em um cartel e eram escolhidas para participar das licitações por meio de pagamento de propina a Costa, Cerveró e Renato Duque (ex-diretor de Serviços).

Costa afirmou à CPI que foi nomeado diretor com apoio político do PP, por meio do ex-deputado José Janene (já falecido). E disse que outros dois partidos se beneficiavam do esquema: o PT (por meio de Duque) e o PMDB (por meio de Cerveró). Eles afirmaram que o operador do PT seria o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto. E o do PMDB seria o empresário Fernando Soares.

O PMDB e o PT negam qualquer envolvimento, assim como Soares, Duque e Cerveró.

Outros depoimentos

Também estão previstos para hoje os depoimentos de Mário Góes (empresário acusado de ser operador); Guilherme Esteves de Jesus (acusado de ser operador financeiro do estaleiro Jurong); Adir Assad (dono de empresas de terraplanagem); Iara Galdino (apontada como funcionária da doleira Nelma Kodama).