21 de junho de 2021
Campo Grande 28º 13º

Críticas de assessor de Olarte a vereadores mostram ingratidão e pouco caso do prefeito com Câmara M

A- A+

O assessor do prefeito Gilmar Olarte (PP), Eliezer David, na tentativa de ajudar seu "chefe" acabou colocando Olarte em uma verdadeiras enrascada. Hoje perto das 13h, ele postou uma declaração em seu perfil no Facebook ofensiva aos vereadores de Campo Grande e abriu precedente para novo capítulo de crise entre legislativo e executivo, similar aquela que destituiu Alcides Bernal (PP) da cadeira de prefeito.

elieser

Após receber críticas de vereadores, que declararam que ele ganha muito mas trabalha pouco ou quase nada, o que na realidade é de comum entendimento de toda população e daqueles que o conhecem, Eliezer resolveu rebater os comentários e desafiar os vereadores.

“Penso que vereador para criticar prefeito tem que ter postura, postura moral e politica. Antes de subir na tribuna... tem que pensar muito no que vai falar...para ser não desmoralizado em seguida... para criticar o chefe do executivo se utilizando de puras demagogias... tem que primeiramente ter a coragem e hombridade de mandar todos os seus indicados e que foram nomeados pelo executivo”, disparou.

Não contente, o assessor afirmou que os vereadores deveriam deixar seus cargos para ter autoridade para poder falar mal do prefeito, deixando claro que, para ele, os legisladores não trabalham como deveriam. “Aí sim, ele tem autoridade constituída para falar mal do prefeito e das ações do executivo municipal. Vejam bem, estou falando como jornalista e cidadão... e não como o tal Assessor Especial... que já nem sei se sou mais ou não. Agora, não irei pedir desculpas a ninguém”, postou.

Eliezer já teve de ir à Câmara meses atrás depois de ter agredido verbalmente os vereadores em um posto no Facebook. Na época Olarte chegou a dizer publicamente que as palavras de Eliezer, embora ambos sejam muito próximos, não poderiam ser ligadas a ele.

Todos os vereadores manifestaram repúdio contra as declarações do assessor especial de Olarte, no entanto, parece que o prefeito não se importou com o caso. O que pode ser lhe render fama de ingrato, uma vez que ele, só ocupa o cargo de chefe do executivo municipal graças aos 23 vereadores que votaram favoravelmente à cassação de Bernal em março deste ano.

As críticas de Eliezer e o silêncio de Olarte acabam transmitindo uma mensagem de descaso com a população, afinal de contas, os vereadores representam o povo e todos na Casa de Leis têm se manifestado contra decisões do prefeito por entenderem que prejudicarão a população, como é o caso do reajuste abusivo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), que se dependesse exclusivamente de Olarte chegaria a 32%.

Heloísa Lazarini