19 de setembro de 2021
Campo Grande 38º 25º

Cultura receberá R$ 7 milhões e artistas ganham “injeção de ânimo” para divulgar projetos

A- A+

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou na manhã desta segunda-feira (14) a liberação de recursos no valor de 7 milhões para a Cultura, onde R$ 5 milhões serão destinados ao (Fundo de Investimentos Culturais do Estado de Mato Grosso do Sul) FIC.

No pacote inclui recursos destinados para diversos projetos entre as artes cênicas, audiovisual, artes visuais, artesanato, literatura, museus, música e patrimônio cultural. Os projetos no teatro envolvem o “Prêmio Rubens Corrêa” com R$ 240 mil, o “Circuito Sul-mato-grossense de Teatro” com R$ 350 mil reais, em projetos de dança são R$ 590 mil reais no total, o Som da Concha com R$ 405 mil reais, obras audiovisuais na faixa de R$ 160 mil reais e para literatura R$ 50 mil reais. 

O secretário de Cultura, Athayde Nery destacou ao MS Notícias que o foco é a valorização do artista local com os novos investimentos do FIC. “Nesse primeiro ano de governo colocamos como prioridade além de outras áreas, também a cultura que sempre deveria ser mais valorizada aqui em nosso Estado. Hoje temos uma política pública de governo, que pensa na arte e no artista. Serão recursos para o artista, eventos pensando exclusivamente no incentivo a cultura e a inserção de conhecimento para a sociedade", diz o secretário.

Em discurso, Azambuja comentou sobre a prioridade de seu governo em investir financeiramente em projetos para a cultura. “Esses projetos, esses recursos vão colaborar para que nossa cultura e nossos artistas sejam valorizados, são mudanças positivas e temos que continuar neste caminho”, disse rapidamente o governador que saiu sem falar com a imprensa alegando outra agenda no período da manhã.  

Valorização do artista

Quem vive e respira música, como o cantor e compositor Guga Borba, 40 anos, vê essas mudanças como uma oportunidade para o artista local mostrar ainda mais o seu trabalho e levar para outras esferas a arte sul-mato-grossense. “O FIC ajuda muito para que os artistas exponham o seu trabalho, é muito importante criar, mas fazer com que seu trabalho chegue até as pessoas, pois elas são muito carentes de novidades, e nossa função artística é contribuir para que isso aconteça. Esses projetos incentivarão ainda mais a divulgarmos a nossa cultura local, nosso Pantanal que é forte, que tem muitas raízes, temos que valorizar o Estado para sermos valorizados lá fora”, diz Guga. 

Novas ferramentas
 “Nos últimos anos tivemos muitas adaptações e uma delas foi à internet. Hoje através da internet podemos levar nosso trabalho para todo o Estado e para o mundo. Essa ferramenta aliada com o FIC vai ser fundamental para expormos a nossa arte que é riquíssima, temos músicos espetaculares e grandes nomes da música Sul-mato-grossense e isso é um motivo de orgulho, existe muito empenho dos nossos artistas e isso incentiva novos artistas que usam a internet e mostrar nosso trabalho de uma maneira mais eficaz”, comentou. 

Como forma de incentivo, o Som da Concha pagará aos artistas o valor que antes era de R$ 750,00 e passa a ser de R$ 2.000,00 para artistas participantes, enquanto para os artistas principais o valor que antes era pago R$ 1.000,00 passará a ser pago o valor de R$ 7.000,00. “É uma mudança extremamente positiva, é uma injeção de ânimo para o artista, muitas vezes temos custos com pessoal, equipamentos e esse reajuste da mais oportunidade para que o artista invista no seu trabalho, melhorar sua apresentação e melhore consequentemente sua música”, comemora Borba.