26 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Delcídio defende descentralização de aplicação do Fundersul

O candidato do PT ao governo do Estado, senador Delcídio do Amaral, conversou com MS Notícias sobre a polêmica que tem se estabelecido no Estado em relação à aplicação do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul) que tem dividido opiniões entre candidatos a governo e produtores ruais.

Delcídio acredita que extinguir o Fundersul não é uma alternativa viável ao Estado, uma vez que o fundo arrecada R$ 300 milhões por ano. Desse valor, 25% são repassados aos municípios, 15% da receita corrente líquida é destinado ao pagamento da dívida do Estado com a União e o restante é dividido entre os demais poderes dentro do Estado.

Outro ponto de discussão sobre o Fundersul é a destinação de 50% do Fundersul-Combustível, que arrecada em média R$ 9 milhões ao ano, para manutenção de vias urbanas dos municípios do interior. O projeto de lei nº 057/2014, aprovado este ano pela Assembleia Legislativa, desagradou os produtores rurais, que têm cobrado dos candidatos ao governo a extinção da lei.

"Precisamos estudar a maneira como o Fundersul é aplicado. É preciso descentralizar a aplicação do fundo e permitir que produtores rurais e prefeituras possam opinar sobre a forma como o Fundersul será utilizado", afirma. Delcídio aponta que é fundamental manter aplicação dos recursos do Fundersul nas estradas, mas considera importante e possível conciliar a destinação de parte desses recursos para manutenção das vias urbanas nos municípios do interior.

"As prefeituras precisam ter condições de opinar sobre a forma de usar os recursos oriundos do Fundersul seja comprando equipamentos ou investindo na reestruturação e manutenção das vias urbanas. Descentralizar não só o controle de aplicação do Fundersul, mas de toda máquina pública é absolutamente necessário para trazer agilidade ao governo. Meu mandato sempre foi assim municipalista, porque acredito nisso", finaliza.

Heloísa Lazarini