16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

'Ronan foi usado por Olarte para ganhar dinheiro', diz ex-presidente do PSL durante depoimento

Dando continuidade aos depoimentos desta sexta-feira (27) sobre processo em que Gilmar Olarte é réu por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, a ex-assessora do ex-vereador Alceu Bueno, Anny Christyna não trouxe informações novas, mas confirmou o que já havia dito em depoimento ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Anny disse que é amiga da Marly Débora, que emprestou cheques a Olarte, e disse que tentou intervir a favor de Marly e por isso procurou Ronan Feitosa para conversar e pedir a ele  resolvesse problema dos cheques e efetuasse pagamento da dívida contraída com agiotas após Marly ter emprestado cheques do filho a Ronan, que pediu favor em nome de Gilmar Olarte.

Anny explica que conhece Ronan há mais de 20 anos, pois ambos frequentavam mesma igreja evangélica. Ela conta que conheceu Ronan quando ele era cantor gospel. Em 2012, ela saiu candidata a vereadora pelo PSL, que apoio candidato a prefeito Edson Giroto e que depois no segundo resolveu apoiar Alcides Bernal (PP) que tinha como vice-Gilmar Olarte, também do PP, na época.

Anny confirmou que trabalhou com Bernal durante alguns meses no início de 2013 quando ele assumiu Prefeitura, mas que depois disso, a convite de Alceu Bueno, presidente do PSL, na ocasião, ela deixou Prefeitura da Capital e passou a trabalhar com Bueno no gabinete do vereador na Câmara.

Sobre conversa que teve com Ronan Feitosa na tentativa de ajudar amiga, Anny explicou que Ronan disse a ela que tivesse paciência que ele riria resolver problema, que era para ela "ter calma". Ela também confirmou que Marly foi funcionária na Prefeitura de Campo Grande em 2013. 

Questionada se teria trocado apoio ao candidato a prefeito Alcides Bernal, em 2012, pelo pagamento de dívida com fornecedores de sua campanha para vereadora, que seria de R$ 65 mil, Anny negou, disse que Bernal prometeu que daria a ela emprego na Prefeitura e não se comprometeu a quitar dívida. "Ronan foi usado por Olarte para ganhar dinheiro", essa foi uma das declarações da depoente durante oitiva. 

A ex-assessora de Bueno também confirmou conversa, por telefone, entre ela e Marly em que as duas falam sobre possível esquema em que alguns vereadores receberiam R$1 milhão para votar a favor da cassação de Bernal, que aconteceu em março de 2014. assação do Bernal. 

Leia também

• Testemunha confirma que emprestou cheques a Olarte em troca de cargo na Prefeitura

• Bernal se diz convicto da culpa de Olarte e exige 'condenação justa' do vice-prefeito

• Agiota diz que resolveu gravar vídeo sobre esquema de cheques depois de Olarte ameaçar sua família