21 de junho de 2021
Campo Grande 27º 16º

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Desenvolvimento socioeconômico de MS passa por investimentos em ciência e tecnologia, diz Governador

A- A+

O desenvolvimento socioeconômico de Mato Grosso do Sul passa por investimentos em pesquisa, ciência, tecnologia e inovação. A afirmação é do governador Reinaldo Azambuja que falou da importância do setor nesta quarta-feira (25.10), durante a abertura da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) em Campo Grande. O evento é programado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em todos os estados brasileiros.

“Discutir ciência, tecnologia e inovação é o futuro para que tenhamos avanços em políticas públicas e desenvolvimento social. Em Mato Grosso do Sul, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia (Fundect) tem sido parceira de universidades e demais instituições para criarmos mecanismos de inovação e avanço em ciência e tecnologia. Investindo nesse setor crescemos socialmente e economicamente, podendo fazer avanços em todas as áreas”, afirmou o governador.

Mato Grosso do Sul é o primeiro estado do País em atividades na SNCT, anunciou Reinaldo Azambuja. Segundo ele, foram programadas para a edição de 2017 do evento mais de duas mil atividades em todo o Estado, envolvendo 300 instituições. “No ano passado fomos o segundo estado do Brasil em atividades, perdendo apenas para São Paulo”, lembrou.

O papel do Estado no cenário nacional da ciência e tecnologia foi destacado pelo presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira. “O Mato Grosso do Sul tem desempenhado bem sua função. Somos um estado emergente na ciência e temos papel fundamental na ciência do Brasil. Estamos entre os principais atores graças ao investimento que o Estado tem feito. Quando se investe em ciência, se investe no desenvolvimento social, econômico e cultural”, contou.

Investimento milionário

Conforme o secretário-adjunto de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar do Governo do Estado, Ricardo Sena, a área da ciência e tecnologia em Mato Grosso do Sul é tida como prioritára. “A ciência tem papel preponderante no desenvolvimento econômico. Foram investidos de 2015 para cá, na gestão do governador Reinaldo Azambuja, quase R$ 50 milhões em fomento à pesquisa”, revelou.

Em sua maioria, os recursos foram empregados em qualificação profissional, por meio de editais de mestrado e doutorado que propiciaram o desenvolvimento do ensino superior sul-mato-grossense. “Ação conjunta do Governo do Estado com a UEMS investiu R$ 7,2 milhões em cursos de pós-graduação e graduação que impactam diretamente o dia a dia das pessoas”, pontuou.

De iniciativa do governo estadual, outros projetos da área tecnológica que estão em andamento são o “Estado Digital Inteligente”, cuja proposta é levar cabeamento de fibra ótica a todos os 79 municípios de MS para agilizar e facilitar o processo de comunicação; e o “Inclusão Digital”, que propõe levar às populações tradicionais de quatro aldeias indígenas e cinco assentamentos rurais a oportunidade de conexão e acesso à informação.

Instituto de Ciência e Tecnologia

Durante a abertura da SNCT, o Governo do Estado anunciou parceria com o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CNPq) para implantar o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) no parque tecnológico da UCDB – com cronograma de execução até 2020. O projeto é orçado em R$ 7 milhões. Do total de recursos, R$ 3,5 milhões são da do Governo do Estado/Fundect e a outra metade do CNPq.

Delegacia Virtual

Também durante a SNCT, o Governo do Estado, por meio da Sejusp, assinou termo de cooperação com a UFMS para implantar a Delegacia Virtual no campus da universidade em Campo Grande. Será colocado um totem, ao lado da reitoria, que servirá de posto de atendimento e recebimento de registros de ocorrências sem a necessidade da presença de policiais. “É um embrião, vamos ver como esse projeto vai se desenvolver para analisarmos a possibilidade de instalação em outros locais”, disse o governador Reinaldo Azambuja.

O projeto da delegacia virtual surgiu na UFMS. A iniciativa visa facilitar o acesso da comunidade a serviços já oferecidos pela Polícia Civil no ambiente virtual, porém por meio de um posto de autoatendimento. É a primeira vez que esse tipo de serviço é oferecido no País, permitindo o registro de Boletins de Ocorrência On line; Registro de Denúncia; Consulta de Veículos e Consulta de Documentos. 100 mil moradores de bairros próximos à universidade e 13 mil professores, servidores e alunos da instituição serão beneficiados diretamente, contou o reitor Marcelo Turine.

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, José Carlos Barbosa, a Delegacia Virtual atenderá registros de pequenas ocorrências, como furtos e extravios de documentos.