26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

NEGACIONISMO

Desmentido 'no ar', Alexandre Garcia é demitido da CNN Brasil

Voltou a defender tratamento precoce e contrariar ciência; Ele mentindo e sendo desmentido para defender pautas de Jair Bolsonaro

A- A+

O jornalista bolsonarista Alexandre Garcia foi desmentido durante programação da emissora CNN Brasil, na qual ele trabalhava até esta sexa-feira (24.set), a emissora, porém, o demitiu após o jornalista voltar a defender tratamento precoce contra Covid-19, que não existe amparado pela ciência. 

Mais cedo, ele havia sido desmentido no ar durante uma participação ao vivo, no quadro "Liberdade de Opinião", por defender o tratamento precoce contra a covid-19. Após a demissão, ele disse que vai seguir trabalhando no seu canal do YouTube.

Segundo a CNN, o quadro da "Liberdade de Opinião" continuará dentro do jornal "Novo Dia".

Veja o comunicado da emissora sobre a demissão de Garcia

A CNN Brasil comunica que rescindiu o contrato com o jornalista Alexandre Garcia nesta sexta-feira (24).

A decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada.

O quadro "Liberdade de Opinião" continuará na programação da emissora, dentro do jornal "Novo Dia".

A CNN Brasil reforça seu compromisso com os fatos e a pluralidade de opiniões, pilares da democracia e do bom jornalismo.

O jornalista bolsonarista já havia afirmado durante programação de jornalismo da CNN Brasil que, sem incluir a Covid-19, 356 milhões de brasileiros morreram de doenças respiratórias desde o dia 16 de março de 2020. O dado falso foi utilizado por ele para minimizar o número de 300 mil mortes, agora jaaaá dobrado no Brasil. Mortes provocadas pelo vírus. 

“Sem o Covid, pneumonia, síndrome respiratória aguda e insuficiência respiratória mataram 356 milhões de brasileiros no mesmo período em que a Covid matou 300 mil”, completou Garcia. O Brasil, no entanto, tem 220 milhões de habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 16 de março, durante a programação da CNN ele foi desmentido pelo âncora do jornal após ler um tweet falso que teria sido postado por Ludhmila Hajjar, quando comentava o convite do presidente para ela ser a nova ministra da Saúde. 

As repetidas mentiras ideológicas contadas pelo jornalista levou a sua demissão do canal americano de TV, CNN.