20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

EFEITO DOMINÓ

Disputa agita cidade que teve prefeito e oito vereadores cassados por corrupção

Vice que assumiu, ex-prefeito, e três mulheres estão entre os sete concorrentes à chefia do Executivo

Depois do vendaval policial e judicial que degolou vários mandatos da safra eleita em 2016, Ladário prepara o fôlego, a coragem e o otimismo para superar o choque e ir adiante com a escolha de seus próximos representantes municipais. Ao todo, são sete as chapas que concorrem aos cargos majoritários, com destaque para a presença de três mulheres.

O ex-prefeito José Antonio Assad é o candidato do PSDB, tendo o comerciante e ex-vereador (mais votado em 2012) Emerson Petzold, o Neninho (PSB), de vice. 

O Cidadania traz a advogada Luciana Andréia Sampaio, viúva do prefeito Mendes Sampaio, tendo como vice o autônomo Roberto Adão da Silva.

Luciana Sampaio e Roberto Adão, candidatos do Cidadania a prefeita e a vice. Foto: Reprodução 

Com o cantor Márcio Reis de vice, o Avante lançou o ex-vereador Helder Botelho como cabeça de chapa.

O PSL definiu pela candidatura própria no município tendo a psicóloga Cristiane Verlaine como candidata à prefeita e a policial militar Gleice Kelly, como vice-prefeita.  

O prefeito Iranil Soares (DEM) quer a reeleição e tem como vice o ex-vice prefeito Hedyl Benzi. O PT tem como candidata a prefeita a professora Raquel Guimarães e José Raimundo Barros, o ex-vereador Bahia, a vice. Já o MDB lançou Munir Ramunieh (MDB), que terá como vice o médico Juliano de Oliveira.

O prefeito Iranil Soares, com Hedyl Benzi de vice. Foto: Reprodução 

Os ladarenses - e particularmente os cerca de 14 mil eleitores - ficaram machucados demais com o resultado dos votos que deram em 2016 para gerar uma das safras mais podres da história política do município. Além do prefeito Carlos Ruso (PSDB), dos 11 vereadores eleitos oito tiveram seus mandatos cassados por envolvimento num esquema de corrupção bancado pelos cofres publicos. O prefeito foi denunciado e condenado por pagar propina para ter o apoio dos vereadores aos seus projetos. A Justiça Eleitoral deu posse ao vice, Iranil Soares, e aos suplentes dos cassados.

RETORNO 

O ex-prefeito José Antonio Assad  governou Ladário em dois mandatos quando era filiado ao PT. Depois de todos os desdobramentos que mudaram peças e destinos da política estadual e especialmente com o fim dogoverno petista, Assad procurou seguir novos caminhos. Aceitou o convite do prefeito Ruiter Cunha, à época ainda no PT, e foi assessorá-lo na administração da prefeitura de Corumbá.

Após a morte de Ruiter, em novembro de 2017, Assad trabalhou na campanha da viúva Bia Cavassa pára deputada federal. Ela ficou de segunda suplente e assumiu o mandato com o licenciamento da titular, Tereza Cristina Corrêa da Costa, nomeada ministra da Agricultura, e do primeiro suplente, Geraldo Resende, nomeado secretário estadual de Saúde. A partir de então, Assad passou a trabalhar na assessoria política e do gabinete de Bia.