08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Cunha sem presidência

‘Ele tem de ser julgado como um deputado comum’ diz Dagoberto

A- A+

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) afirmou nesta segunda-feira (15) ao MS Noticias que o presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB) tem que ser destituído do cargo de presidente da Câmara para não atrapalhar as investigações que correm contra o peemedebista. “Espero que o Superior Tribunal Federal  tenha uma decisão sobre isso”, disse.Na avaliação do pedetista, o fato de Cunha continuar presidindo os trabalhos da Casa irá dificultar as análises do processo. “Ele tem de responder como um deputado comum. O peso da presidência não deixará ele ser julgado como deveria”, acrescentou Dagoberto.

A discussão sobre o processo contra Cunha será retomado esta semana, no Conselho de Ética da Câmara. Para terça-feira (16)  e quarta-feira (17) estão previstas sessões, para  debater o parecer do deputado Marcos Rogério (PDT-RO) pela continuidade das investigações contra o peemedebista. As sessões acontecem, após a decisão do primeiro vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP/MA), ter concedido a anulação da votação que determinou a continuidade do processo contra Cunha. Conforme a determinação do deputado maranhense, a análise do caso será retomada na fase de discussão. O relatório de Marcos Rogério se mantém, mas será debatido novamente, segundo o deputado.

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, havia  anulado a aprovação do parecer que estabelecia o prosseguimento dos inquéritos, depois que  acatou o recurso impetrado pelo deputado Carlos Marun (PMDB). “Meu partido já tomou uma posição, a bancada do PDT quer a renúncia dele [ Eduardo Cunha], agora com relação ao Marun ele terá de se explicar porque está defendendo um bandido”, disparou Dagoberto.