06 de maio de 2021
Campo Grande 25º 16º

Fogo amigo

Eleitos que foram à China são chamados de caipiras

Escritor atingiu os parlamentares sul-mato-grossenses eleitos Soraya Thronicke e Tio Trutis

A- A+

O filósofo, escritor e guru do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Olavo de Carvalho, criticou viagem à China de uma comitiva de parlamentares do PSL, entre eles os sul-mato-grossenses, Soraya Thronicke e Tio Trutis, respectivamente, senadora e deputado federal eleitos. Ele irritou-se com a ideia de ser apresentado no início do ano legislativo (fevereiro) projeto de lei que obriga a implantação de tecnologia chinesa de reconhecimento facial em locais públicos, para auxiliar as forças de segurança pública no combate ao crime e na captura de suspeitos ou foragidos. Em publicações nas redes sociais, Olavo chamou os correligionários de Bolsonaro de “semianalfabetos” e “caipiras”. 

“Instalar esse sistema nos aeroportos brasileiros é entregar ao governo chinês as informações sobre todo mundo que mora no Brasil”, afirmou ele, num vídeo postado no Twitter, na noite de quarta-feira (16). Ainda na rede social, o escritor, que é o responsável pela indicação dos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), disse que os parlamentares do PSL estavam fazendo uma loucura ao entregar o Brasil para o poder chinês. 

“Vocês são idiotas, meu Deus do céu? Vocês têm ideia da extensão da tecnologia chinesa de controle comportamental? Vocês não estudaram nada disso nem querem estudar. Estão achando lindo que foram convidados para ir para a China. É um bando de caipiras”, criticou Olavo.