17 de janeiro de 2021
Campo Grande 26º 23º

A elite é contra Dilma porque quer ver o retrocesso do Brasil, diz Lula

Durante a Convenção Estadual do PT em Mato Grosso do Sul, que terminou há cerca de duas horas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o grande embate das eleições presidenciais deste ano são os dois projetos antagônicos que estão sendo discutidos. Para Lula, a disputa eleitoral está focada não nas figuras dos candidatos e sim nos projetos ideológicos que eles representam.

"Essa disputa não é de pessoas, mas de dois projetos. Um que vai beneficiar as pessoas que querem que o Brasil volte a ser o que antes de 2003 quando apenas uma elite desfrutava do desenvolvimento econômico e outro das pessoas que querem que o Brasil continue crescendo como está hoje."

Para Lula, a elite brasileira critica o desenvolvimento econômico do país por privilegiar também a população de baixa renda. "Pela primeira vez no Brasil o pobre tem dinheiro e a renda dele cresceu mais que a da classe média." Conforme Lula, durante governo do PT, a renda da classe média cresceu 35% enquanto a da população mais pobre foi de 70%.

Lula voltou a defender o investimento em programas sociais como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida sob alegação de que a própria classe média ganha economicamente com aumento geral da renda do brasileiro. "Pobre virando consumidor ganha todo mundo, ganha o país, a classe média, o pobre com dinheiro é um país com mais dignidade com mais segurança."

Para o ex-presidente, é preciso manter a política econômica atual aliada às políticas públicas de desenvolvimento social para garantir geração de emprego e evitar o retorno da inflação. "Temos que continuar trabalhando para garantir casa para as pessoas, garantir crédito consignado para os pobres e evitar que a inflação volte neste país."

Heloísa Lazarini