01 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 19º

Solidariedade

Em ato do SD, Rose diz que Campo Grande quer gestão com eficiência e transparente

A- A+

“Gestão eficiente e transparência na aplicação dos recursos públicos são obrigações básicas da administração de uma cidade”, disse a pré-candidata do PSDB à Prefeitura de Campo Grande, Rose Modesto, em ato do Solidariedade (SD) na Vila Popular.  O encontro, com a presença de aproximadamente 200 pessoas, foi realizado pelo ex-presidente da União das Associações de Moradores (UMAM), José Gondim, pré-candidato a vereador da Capital pelo SD.

Segundo a pré-candidata tucana, “se o princípio da eficiência e da transparência fosse cumprido, Campo Grande não estaria passando pelo caos na saúde pública, por exemplo”.

Rose afirmou que é preciso sensibilidade e percepção dos problemas que afligem a população, lembrando que “uma boa gestão não depende apenas de dinheiro, mas, sobretudo, de uma equipe técnica competente, capaz de planejar e executar os projetos de governo. Campo Grande vive uma crise de gestão, incapaz de empreender, inovar e criar novas oportunidades”.

O secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis, que era um dos nomes do PSDB na disputa das eleições municipais, ressaltou que o partido está coeso em torno da pré-candidatura de Rose Modesto, considerando que a partir de sua eleição Campo Grande estabelecerá uma “parceria altamente produtiva”, tanto para o Governo do Estado quanto para a administração da Capital.  

Assis destacou que a pré-candidata tucana, além da sensibilidade e conhecimento sobre os problemas de Campo Grande, “é uma colaboradora importante da nova política implementada no Estado, na condição der vice-governadora, conhece todos os projetos do governo”.

O dirigente estadual do SD, jornalista Bosco Martins, que abriu o ato de apresentação da pré-candidatura do líder comunitário José Gondim, destacou a presença de lideranças de todas as regiões de Campo Grande e a afinidade da pré-candidata tucana com os movimentos sociais.

“Rose faz parte do novo jeito de fazer política implementado pelo governador Reinaldo Azambuja. Ela não é gestora de gabinete e indiferente aos reclamos da população. Rose vivencia os problemas da comunidade e compartilha a busca de soluções”, disse Bosco Martins.

“Temos nessas eleições a oportunidade única de eleger uma mulher para conduzir os destinos da Capital . É capaz e tem compromisso com a inovação e o empreendedorismo, princípios que norteiam uma gestão eficiente. A população quer alguém na Prefeitura com foco na superação das mazelas que afligem a sociedade”, lembrou Bosco Martins.

Campo Grande teve duas mulheres à frente da administração, mas em caráter de interinidade: Nelly Bacha, em razão de estar na linha de sucessão por ocupar a presidência da Câmara, e Marilu Guimarães, que era vice de Lúdio Coelho.

O deputado estadual Beto Pereira (PSDB), que já foi prefeito de Terenos por dois mandatos, mencionou o alcance social das ações do governador Reinaldo Azambuja, por meio da Caravana da Saúde e do plano de segurança pública, avaliando que “Rose, por estar totalmente entrosada com a nova política de governo, será a grande condutora do processo de recuperação da Capital, que hoje vive um momento de desnorteamento em todos seus aspectos, ético e administrativo”