12 de maio de 2021
Campo Grande 26º 17º

PROTAGONISMO

Em Maracaju, administração municipal fomenta empoderamento feminino

Estabeleceu um modelo diferenciado de gestão, com foco na ampla participação da sociedade

A- A+

Com a decidida atuação da primeira-dama Leila Azambuja e o engajamento da equipe, a Prefeitura de Maracaju vem construindo uma importante frente de afirmação de direitos das mulheres. Em seu terceiro mandato de prefeito, Maurílio Ferreira de Azambuja (MDB) estabeleceu um modelo diferenciado de gestão, com foco na ampla participação da sociedade e a presença expressiva de segmentos tradicionalmente impactados pelos preconceitos sociais e econômicos.

Os resultados são alentadores para quem luta contra todas as formas de discriminação. As soluções já alcançadas definem conquistas em qualidade e quantidade. Das nove secretarias municipais, a maioria já foi confiada a pessoas do sexo feminino: Cleoerdes Fátima Barbosa Carneiro (Educação), Elvirana Fernandes Campato Lucchiari (Saúde), Ilma de Aquino da Rosa (Assistência Social), Janete de Matos (Obras) e Renata Azambuja Silva Miranda (Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente).

Ainda que eventualmente uma secretária deixe o cargo, o contexto de sua investidura é que retrata o compromisso conceitual da administração. E esta realidade está refletida em outras áreas políticas e sociais do município. Se na Câmara Municipal a presença da mulher não se destaca pela quantidade – apenas duas vereadoras perfilam numa casa legislativa de 13 cadeiras -, o protagonismo feminino sobressai em outros espaços.

No início de fevereiro passado, por exemplo, o prefeito Maurílio Ferreira deu posse às 200 pessoas aprovadas em concurso publico. Impressionou a quantidade de mulheres entre as nomeações e também na programação do evento. A consultora e coach Luzia Louzada fez a palestra sobre excelência no serviço publico, direito e obrigações, ética profissional e liderança. Na plateia ou participando das atividades, líderes de diversos setores, entre as quais as dirigentes máximas do Sindicato dos Servidores Publicos Municipais, Mara Rúbia, e do Sindicato dos Profissionais da Educação, Ludemar Solis.

Para completar, no sábado, 6, o Chá das Mulheres fechou o calendário lilás de março, mês dedicado às lutas afirmativas e pelo empoderamento feminino, renovando o olhar vigoroso das maracajuenses que se empenham para derrubar os muros do preconceito. Com troca de ideias, orientações, bingo e prêmios, o chá reservou ainda um momento especial: a vereadora Marinice Penajo (PSDB) divulgou e coletou assinaturas de apoio ao projeto da deputada federal tucana Rose Modesto, que propõe aumentar de 12 anos para 20 anos a pena aos condenados por feminicídio. A primeira a assinar foi Leila Azambuja.