13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Em visita ao Estado, Serra critica PT institucionalizar corrupção no Brasil

A- A+

O senador eleito por São Paulo, José Serra (PSDB), fez duras declarações contra o PT, ontem durante visita a Dourados  -distante 284 km de Campo Grande - onde participou de atos políticos ao lado do candidato ao governo do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB). Segundo ele, o partido que está no poder central há 12 anos prestou um desserviço ao país ao institucionalizar a corrupção e o desvio de conduta.

“Diferente de outros países, no Brasil, a corrupção, o desvio de dinheiro e de conduta viraram método de governo, uma maneira de governar. Isso é inacreditável e precisa ser mudado. Não basta mudar o presidente, vamos ter que reconstruir o Brasil”, disse Serra, o senador mais votado do país, com mais de 11 milhões de votos (58,49% dos válidos).

O tucano citou como exemplo de má gestão os desmandos na área da saúde, que, segundo ele, está “inteiramente degradada”. Quando era ministro da pasta, no governo FHC, Serra determinou que os cargos da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) fossem ocupados dentro de critérios técnicos, o que foi desmantelado pelo PT.

“Tínhamos moralizado a administração, não tinha indicação política. Aí veio o governo Lula revogou o decreto e a Funasa virou o maior centro de corrupção na área da saúde, até na questão da saúde indígena”, disse. E completou: “em meu último ano no Ministério, demorava-se cinco meses para aprovar um genérico [medicamento] e hoje demora 30 [meses]. A Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] triplicou de tamanho, totalmente loteada”, completou.

Serra defendeu a candidtura de Reinaldo, que para ele, será o gestor que trará o desenvolvimento que o Estado precisa. O paulista disse que, se eleito, Reinaldo fará uma boa administração porque é um homem competente, austero, bem preparado e simples. “Tenho certeza que, com o Reinaldo, Mato Grosso do Sul se abrirá para o futuro, se tivermos um governo federal diferente”, destacou.

Reinaldo Azambuja agradeceu o companheiro de partido pelo reforço na campanha. Serra participou da maior carreata da história da Grande Dourados, pois contou com cerca de 1.500 carros e motocicletas. Azambuja lembrou que o senador paulista “tem um carinho enorme por Mato Grosso do Sul” e que irá contribuir com sua experiência administrativa para ajudar a desenvolver o Estado

A presença do senador mais votado do país, em Dourados, segundo maior município de Mato Grosso do Sul, fecha o time de figuras ilustres do PSDB que estiveram no Estado durante campanha de Reinaldo. Na última terça-feira, esteve na Capital, o presidenciável Aécio Neves e na semana passada, os governadores eleitos de São Paulo Geraldo Alckmin e do Paraná Beto Richa.

Heloísa Lazarini