30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

Família Trad vira as costas a Puccinelli e vota contra aliança nacional PT e PMDB

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou hoje pela manhã que, mesmo diante das declarações de apoio do PMDB de Mato Grosso do Sul ao presidenciável Eduardo Campos (PSB), o partido provou ontem, durante convenção nacional em Brasília, que está unido em torno da reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), o que denota também a força de Puccinelli, principal liderança do PMDB no Estado."Eu estou com a Dilma e o PMDB de Mato Grosso do Sul também. O Nelson Trad apoia o Campos", afirmou André. O governador fez questão de ressaltar que apenas os deputados federais Geraldo Resende e Fabio Trad e o pré-candidato do partido ao governo do Estado Nelsinho Trad votaram contra a aliança nacional. "Tirando esses três, todos votaram a favor da aliança com Dilma e o Michel ficou feliz pois sempre soube que podia contar com Mato Grosso do Sul." Puccinelli credita essa dissidência dos Trad a uma característica primordial do PMDB, que é garantir a democracia e a liberdade de escolha entre os filiados do partido em primeiro lugar. "Desde 1966 existe isso e o PMDB se tornou o maior partido do Brasil por respeitar isso (a vontade de cada um de seus membros)", afirma André. O governador destacou a importância de apoiar a reeleição de Dilma devido à visibilidade que o vice-presidente Michel Temmer, do PMDB, terá durante os próximos quatro anos de mandato, o que será fundamental para garantir que Temmer se torne um forte candidato à presidência em 2018. "A intenção do Michel é trabalhar bastante porque em 2018 ele quer ser pré-candidato à presidência da  republica." A votação de ontem deixa claro que o PMDB de fato não está divido e sim unido, em especial em torno do governador André Puccinelli, pois até mesmo membros do partido que participaram do encontro com Eduardo Campos na última quinta-feira, como vereadora Carla Stephanini e o deputado estadual Junior Mochi, acompanharam Puccinelli e votaram pela coligação nacional PT e PMDB. Ao que tudo indica, a exceção ficou restrita à família Trad e ao deputado Geraldo Resende. Finalizando sua fala, Puccinelli anunciou que não irá se licenciar do partido para apoiar Dilma, por ter o apoio da nacional para trabalhar aqui no Estado pela reeleição da presidente. Heloísa Lazarini e Dany Nascimento