20 de abril de 2021
Campo Grande 30º 20º

Em Jardim

Filho de tucano e rejeição administrativa ameaçam reeleição de petista

A- A+

O prefeito Erney Barbosa (PT), e o vereador Guilherme Monteiro (PSDB), polarizam as intenções de voto  para a disputa da Prefeitura e Jardim em 2016. De acordo com pesquisa da Vale Consultoria e Assessoria, realizada de 1º a oito deste mês, os dois pré-candidatos ocupam as primeiras posições na preferência do eleitorado. A pesquisa, com intervalo de confiança de 95% e 2,4% de margem de erro para mais ou para menos, foi feita com 400 pessoas a partir dos 16 anos em 31 bairros da cidade.

Guilherme é filho de Márcio Monteiro, um dos homens-fortes do governador Reinaldo Azambuja. Ex-prefeito de Jardim, ex-deputado estadual, deputado federal licenciado, presidente regional do PSDB e secretário estadual de Fazenda, Márcio investe na carreira política de Guilherme e o considera pronto para disputar a Prefeitura.

Erney Barbosa chegou à Prefeitura em eleições suplementares. Na primeira eleição, em outubro de 2012, ele era vice do pedetista Marcelo Melo (PDT). A chapa venceu com 53,3% dos votos, mas o governo não durou três meses: em março de 2013 a Justiça Eleitoral cassou o mandato de ambos, acolhendo denúncia de compra de votos feita pelo Ministério Publico. A denúncia não atingiu o petista, que pôde concorrer na nova eleição, em julho, quando derrotou Gláucio Cabreira (DEM) com 59,3% dos votos.

SIMULAÇÕES – Nas intenções de voto espontâneas, a pesquisa registrou um empate entre Erney e Márcio (que não é pré-candidato), ambos com 15%. O terceiro colocado é Guilherme, com 10%. Na fila estão ainda, pela ordem, Carlinhos (6,50%); Dr Marcelo, Professor Serginho, Rose, Kênia Flores, Professora Olga e Odilon do Prado com 1,50%. Os indecisos foram um bloco de 39,50% e apenas 5% têm intenção de anular o voto, votar em branco ou não apoiar nenhuma das candidaturas.

Já na amostragem estimulada, as intenções de voto alojam Guilherme Monteiro na liderança, com 48%, bem à frente de Erney (26,50%), Odilon do Prado (8%), Claudinha Barbosa (5%) e Geraldo (1,50%). Os indecisos caem para 6% e os dispostos a votar em branco, anular o voto ou não votar em nenhum são 5%.

REJEIÇÃO – O quadro de rejeição é o mais desfavorável ao atual prefeito. A Vale apurou que 40% dos entrevistados não votariam em Erney de jeito algum. Com índices menores de rejeição foram citados: Claudinha Barbosa (10%), Guilherme (9%), Geraldo (7%) e Odilon do Prado (5%), ao passo que 29% não sabe ou não responderam.

Associada à rejeição está a avaliação sobre o governo de Erney, reprovado pela população com 40% de ruim e péssimo. Os índices de aprovação (28% de bom e ótimo) e os 26% de regular podem contrabalançar esse item de aferição. Só 6% não sabem ou não responderam ao quesito. Para os jardinenses, os maiores problemas locais estão na saúde (38%), no desemprego (32%) e no déficit de moradias (18%).

Na sondagem sobre os vereadores mais atuantes, a Vale constatou que os cinco primeiros são: Guilherme (20%), Gláucio cabreira (10%), Mário Oliveira (6,50%), Rose (6,50%) e Zé Preto (5%).