20 de junho de 2021
Campo Grande 25º 13º

Governador ressalta potencial do MS e cobra parceria por desenvolvimento

Durante evento de inauguração da Casa da Mulher Brasileira, o governador Reinaldo Azambuja lembra que o embate durante a campanha é necessário e oxigena a Democracia, mas a união de esforços após eleições é a única forma de conseguir avanços

A- A+

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), acompanhado da primeira dama,  Fátima, recepcionou na manhã desta terça-feira (3) a presidente Dilma Rousseff, durante evento que marcou a inauguração da primeira Casa da Mulher Brasileira. Após visitar as instalações na companhia da vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, ministras e secretárias de Estado, presidente do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), João Maria Lós, vice-governadora Rose Modesto, deputados federais, prefeitos, demais autoridades, também Maria da Penha Maia Fernandes, presidente do Instituto Maria da Penha e que dá nome à Lei, além das responsáveis pela instalação e funcionamento da Casa.

Reinaldo ressaltou a importância das políticas em defesa das mulheres vítimas das diversas formas de violência, em especial das recentes ações, como o funcionamento 24 horas da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), reivindicação que angariou mais de dez mil assinaturas ainda durante o governo anterior, mas que só foi atendida no atual governo, e fortalecendo-se com a inauguração do espaço que integra num mesmo espaço, acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, juizado, Ministério Público, Defensoria Pública, promoção de autonomia econômica, cuidado das crianças com brinquedoteca, alojamento de passagem e central de transportes.

“Estas ações, permitidas pela parceria entre os diversos poderes públicos e dos governos municipal, estadual e federal, certamente irão auxiliar Mato Grosso do Sul a deixar para trás a mácula de estar entre os estados com maior grau de violências contra as mulheres”, ressaltou o governador, que ainda elogiou a o trabalho que vem sendo realizado pelas mulheres que compõem as secretarias órgãos destinados à mulher.

Parceria política

Sobre a relação entre as administrações estadual e federal, Reinaldo mostrou-se confiante e acredita que “os palanques de campanha” foram desmontados. Segundo o governador, as cobranças e até ataques durante a campanha são necessários e oxigenam a Democracia, mas deve haver empenho, após o resultado das urnas, em desenvolver um trabalho apartidário e que objetive sanar ou minimizar os problemas enfrentados e articular ações para o crescimento do país como um todo.

Enfatizando que Mato Grosso do Sul sabe de sua importância e seu potencial, especialmente no agronegócio, confia que a presidente Dilma Rousseff saberá valorizar nosso estado em igualdade de condições. “A presidente Dilma Rousseff não deixará de ser petista, assim como eu não deixarei de pertencer ao PSDB, no entanto temos a plena consciência de que as divergências ideológicas ou programáticas não impediram um entendimento que venha a beneficiar a população. Cada um à sua forma, dentro de seus conceitos, conversando e respeitando-se mutuamente, conseguirá o melhor”, ressaltou Reinaldo.