14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

Política

Governo implanta política de Estado e corrige distorções salariais

“revolução, responsabilidade e respeito”

O presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, Edmar Soares da Silva, afirmou nesta terça-feira (26), durante evento de assinaturas de leis que corrigem distorções salariais do funcionalismo público estadual, que o Governo do Estado fez justiça com, “aqueles que recebem menores salários”. 

Em nome de todos os sindicatos de base, Edmar discursou na governadoria após o governador Reinaldo Azambuja assinar 12 leis e dois decretos que melhoram e ajustam o sistema de remuneração e os critérios de desenvolvimento funcional de 31 carreiras. Com a mudança, 26.830 servidores foram beneficiados. As modificações já começam a valor neste mês de julho.

O sindicalista também destacou que as mudanças se refletem em “política de Estado e não de Governo”, dizendo que as ações do Executivo Estadual foram pensadas paras os servidores, o que reflete na melhora dos serviços públicos prestados à população sul-mato-grossense.  Edmar lembrou que as rodadas de negociações salariais, que deram origem aos projetos de lei aprovados pela Assembleia e sancionados pelo governador, foram marcadas pela “revolução, responsabilidade e respeito”, tanto do governo quando dos sindicatos e federações.

Para ele, “fato marcante foi a discussão através do diálogo”.  “É preciso reconhecer que enquanto a maioria dos estados brasileiros lutava para ter seus salários em dia, nós empreendemos uma luta pela melhoria salarial, onde o grande vencedor foi e sempre será o povo desse Estado. Um servidor valorizado produzirá sempre com maior qualidade”, discursou o presidente da Associação. Ele ainda reforçou que o governo buscou valorizar aqueles servidores que recebem os menores salários. “Isso é sem dúvidas dividir riquezas, corrigir injustiças que no passado foram cometidas por alguns governantes”. “Ao adotar um sistema de correção de distorções pode-se se fazer justiça com os menos favorecidos, buscando a valorização daqueles que muitas das vezes foram esquecidos nos governos passados”, completou.

Leis-295 


 Foto: Divulgação/Assessoria

Falando pelo Governo do Estado, o secretário de Estado de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis, ressaltou que os avanços obtidos pelas leis abrangem 31 das 48 carreiras do funcionalismo estadual. Junto do secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel,

Assis comandou as negociações com os servidores. “Em abril de 2016 nós iniciamos as conversações sobre a data base de 2016, que é maio de 2016. Conseguimos o entendimento de todos os representantes dos servidores. Tivemos momentos tensos, normal de negociações, mas nunca se faltou o respeito, a clareza e a verdade daquilo que nós poderíamos concretizar e entregar aos nossos servidores. Hoje é um dia histórico para nós servidores desse Estado porque quebra-se um paradigma de conversação entre Governo e servidores”, pontuou.

O governador Reinaldo Azambuja lembrou que este é um ano “difícil para todos” e que a gestão estadual faz o esforço para não comprometer as contas do Estado. “Esse governo é um governo de diálogo, que tem a responsabilidade de manter o Estado em alicerces seguros. Quem vos fala é um servidor público contratado por quatro anos”, comparou Azambuja. (Com assessoria).