20 de abril de 2021
Campo Grande 32º 19º

Combate à Dengue

Governo lança plano emergencial de combate ao Aedes Aegypti

O Governo do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), apresenta o Plano Emergencial de Vigilância de Combate ao Aedes Aegypti, na Transmissão da Dengue, Chikungunya e Zika, no Estado de Mato Grosso do Sul.

O lançamento do plano emergencial tem a finalidade de combater o mosquito a fim de reduzir e erradicar a transmissão dos agravos de saúde à população. O aglomerado urbano e as inadequadas condições de habitação, irregularidades no abastecimento de água, o acúmulo de água parada em recipientes e a destinação imprópria de resíduos são determinantes da dispersão dos vetores transmissores das doenças.

Nos municípios do estado já foram identificadas por meio laboratorial a circulação dos quatro sorotipos de Dengue (DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4), e, especialmente em 2016, temos a prevalência do soro tipo DEN1 e DEN4.

 A condução das ações deste plano será coordenada pelo Comitê Estadual de Combate ao vetor Aedes aegypti no Estado de Mato Grosso do Sul, com apoio técnico do Comitê Técnico de Combate ao Vetor Aedes aegypti em MS/SGVS/SES e operacional da Secretaria-Executiva da Sala de Situação de MS.

A participação efetiva de Instituições Federais, Estaduais e Municipais, públicas ou privadas, e Sociedade Civil Organizada, na execução das ações de combate imediato ao vetor Aedes aegypti na transmissão da Dengue, Chikungunya e Zika em Mato Grosso do Sul, são fundamentas para integrarem o Comitê Estadual de combate ao vetor Aedes aegypti no Estado.

 

Na contramão do mosquito

A campanha Guerra ao Mosquito Aedes aegypti em Corumbá é uma iniciativa realizada pela Fiems, Sesi, Prefeitura e TV Morena para disseminar informações de conscientização da população sobre as formas de combate ao vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus.

A iniciativa já chegou a 42.117 pessoas da cidade em oito dias de trabalho, o que representa 73% da meta de 57 mil pessoas. Além disso, ao longo desses oito dias de trabalho, foram visitadas 512 empresas.

Para o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, os números mostram o comprometimento de todos os envolvidos. “Com certeza teremos a nossa meta superada e isso é resultado do ótimo desempenho das equipes do Sesi e da Prefeitura, além da colaboração da comunidade que compreende a importância do trabalho”, disse.   

Os agentes estão levando para as ruas informações sobre a importância de recolher o lixo e eliminar focos de larvas do mosquito, uma vez que os ovos, mesmo secos podem sobreviver por até um ano sem água e quando em contato com água novamente o ciclo evolutivo recomeça, daí a necessidade de lavar as bordas dos recipientes com bucha e sabão.