17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Manifestação

Guardas municipais reclamam de militarismo implantado 'goela abaixo'

A sessão da manhã desta terça-feira (23) na Câmara Municipal de Campo Grande foi marcada por protestos. Guardas municipais estiveram na Casa pedindo o apoio dos vereadores para pôr fim ao que eles chamam de 'militarismo implantado goela abaixo'.

De acordo com Nelson Benites que representa o setor jurídico da Irmandade dos Guardas Municipais, a instituição é de caráter civil e eles estão sem entender o porquê de tanto militarismo. Ainda segundo o guarda, existem diversos benefícios que categoria não recebeu. 

Nelson Benites

“Nossa instituição é de caráter civil, não estamos entendendo o porquê de tanto militarismo, não sabemos se o Executivo quer com isso oprimir a categoria. Fora isso temos várias outras reivindicações, como benefícios que não estamos recebendo, como por exemplo o adicional noturno, o adicional de operações especiais. Falaram que quem estiver afastado do cargo não pode receber, mas quem não está afastado não está recebendo, além de outras coisas previstas em Lei que não estão sendo cumpridas”.

O vereador Chiquinho Telles (PSD) disse apoiar as manifestações, mas ressalta que os guardas precisam ir para ruas além de se manifestar na Câmara. “Eles têm que ir para Avenida Afonso Pena, esticar a faixa, não adianta vir só aqui na Câmara, lógico que é importante, nós vamos ajudar, assim como todas as categorias que vêm aqui, nós sempre apoiamos, agora eles tem que pedir diretamente para o prefeito também. Tem que ir para frente da casa do prefeito assim como fizeram uma vez com o Olarte”.

Vereadores como Otávio Trad (PT do B) e Ayrton Araújo (PT) também se manifestaram dizendo que estão à disposição dos guardas municipais. “Antes do Bernal os guardas eram valorizados, hoje a história é diferente”, comenta Ayrton. “Eu como vice-presidente da Comissão Permanente de Segurança Pública desta Casa me coloco à disposição para ajudar no que for preciso”, finaliza Otávio.

O presidente da Irmandade dos Guardas Municipais, Valter Francisco Xavier, ocupou a tribuna da Câmara para esclarecer os motivos da manifestação. “Nós viemos pedir socorro, precisamos da ajuda de vocês. Os nossos salários precisam ser pagos de acordo com a Lei não só o que a Prefeitura considera. Precisamos receber o retorno de férias, porque nós não recebemos, hoje o guarda não tem um pingo de vontade de tirar férias, e também sobre a questão do militarismo que vem sendo implantado na guarda civil municipal de ‘goela abaixo’ existe uma Lei 13022 de agosto de 2014 que fala do não militarismo com relação aos guardas municipais, hoje nós passamos por cinco comandantes que nada fizeram pela nossa Guarda Municipal. O profissional bem treinado e bem capacitado ele soma ainda mais com Campo Grande do que está atualmente”.

Hopi Hari abre pré-venda da Hora do Horror 2021
Variedades
há 28 minutos

Hopi Hari abre pré-venda da Hora do Horror 2021

Suely Franco deixa apartamento por não ter como pagar condomínio
Variedades
há 28 minutos

Suely Franco deixa apartamento por não ter como pagar condomínio

MMA tem R$ 2,8 milhões para ações ambientais em fundo no BNDES
Política
há 28 minutos

MMA tem R$ 2,8 milhões para ações ambientais em fundo no BNDES

Governo do Estado recebe 338.130 medicamentos do 'kit intubação' neste sábado
Geral
há 48 minutos

Governo do Estado recebe 338.130 medicamentos do 'kit intubação' neste sábado

Hospital Federal da Lagoa vai abrir 50 leitos de UTI para covid-19
Variedades
há 1 hora

Hospital Federal da Lagoa vai abrir 50 leitos de UTI para covid-19

Internações de pessoas entre 20 e 39 anos triplicam em Pernambuco
Variedades
há 1 hora

Internações de pessoas entre 20 e 39 anos triplicam em Pernambuco