24 de julho de 2021
Campo Grande 32º 16º

Política

Há risco de apagão em 2021? O programa Perspectiva responde

A- A+

O Sistema Nacional de Meteorologia declarou neste mês que cinco estados brasileiros - incluindo Mato Grosso do Sul - estão em emergência hídrica até setembro. Essa falta de chuvas afeta diretamente a bacia do rio Paraná, que faz girar diversas hidrelétricas. Diante desse cenário, há risco de faltar energia? Essa foi uma das perguntas respondidas pelo engenheiro elétrico e pesquisador Ethienne Biasotto ao programa "Perspectiva", da TV ALEMS.

A entrevista foi conduzida pelo jornalista Thiago Frison. Mato Grosso do Sul possui usinas de energia de diversas matrizes, e a quantidade de energia produzida é maior que aquela consumida. No entanto, alerta Ethienne, o sistema é interligado e não necessariamente a energia aqui produzida fica por aqui. A decisão é do Operador Nacional do Sistema (ONS). 

Por isso, explica o pesquisador, caso a escassez de chuvas se prolongue, afetando a produção de energia em usinas como Itaipú, em Foz do Iguaçu (PR) e Jupiá, em Três Lagoas, o ONS vão fazer o possível para distribuir para todo o país o que há, e caso falte, regiões poderão sim ficar desabastecidas. O Brasil está totalmente interligado por uma rede construída ao longo dos anos, e nenhuma usina entrega diretamente para o consumidor, passando antes por decisão da ONS, que define o destino da produção.

Ethienne defende que medidas devem ser tomadas imediatamente pelo Governo Federal, por meio do Ministério de Minas e Energia, como a edição de medidas provisórias que garantam melhor gestão ou medidas de redução de consumo enquanto durar a crise hídrica - a pior dos últimos 90 anos.

O "Perspectiva" é exibido ao longo da programação da TV ALEMS, canal 9 da operadora Claro NET em Campo Grande e em Dourados. Também é possível conferir esse e outros programas já exibidos pelo canal do YouTube da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.