27 de julho de 2021
Campo Grande 31º 12º

PR deve apoiar Simone, mas não terá compromisso com Nelsinho, afirma deputado

A- A+

O deputado estadual Jerson Domingos (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa, que possui trânsito livre entre os parlamentares da Casa de Leis estadual, garante que o PR (Partido da República) não tem compromisso com pré-candidatura de Nelson Trad Filho (PMDB) ao governo do Estado. “Aqui na Assembleia o clima entre o PR e o governador é de harmonia, nunca faltaram com o apoio ao governador, mas em relação ao apoio do partido à pré-candidatura do Nelsinho, eu vejo que não existe nenhum compromisso com essa pré-candidatura. Vejo que o objetivo deles é apoiar a Simone a pedido do André, mas não vejo comprometimento em apoiar o Nelsinho. Eu acredito que o PR vai apoiar a Simone, mas também pretende apoiar a pré-candidatura do Delcídio do Amaral (PT)”.

As afirmações de Jerson Domingos vêm de encontro com  a conjuntura política atual do PMDB, que está dividido não só internamente, mas também em relação aos aliados políticos. Lideranças como Jerson e o vice-presidente do partido Esacheu Nascimento apoiam a pré-candidata ao Senado, Simone Tebet, que por eles, poderia até mesmo ser a pré-candidata ao governo. Por outro lado, não sinalizaram, ainda, apoio a Nelsinho Trad. No caso de Jerson, o deputado já declarou publicamente que apoia a pré-candidatura do senador Delcídio do Amaral e, para isso, irá se licenciar do PMDB.

Essa dissidência, embora seja causada por uma minoria, é reflexo direto da decisão do governador André Puccinelli em permanecer à frente do governo estadual e não se lançar como candidato ao Senado. E isso tem prejudicado, embora os peemedebistas neguem, a pré-candidatura de Nelsinho, que viu sua chapa perder força e tem visto o apoio de partidos tradicionalmente aliados ao PMDB escorrerem por suas mãos.

Muitos partidos, como o PR são próximos e fieis aliados ao governador, muito mais que ao PMDB em si. O próprio presidente regional do PR, deputado Londres Machado, esperou até o anúncio da decisão do governador para começar a conversar de forma mais intensa com o pré-candidato petista ao governo do Estado, Delcídio do Amaral. Hoje, o PR é cotado para indicar o vice- governador dentro da chapa petista.

Para Jerson, a relutância por parte de alguns partidos em apoiar Nelsinho tem origem na diferença entre o perfil do peemedebista e de Delcídio e a capacidade de interlocução política de ambos. "Acho que o apoio tem que ser dado aquele que está mais bem preparado, conhecendo melhor os problemas do Estado como foi o André, que tem uma relação muito próxima com o governo federal, tem credibilidade porque isso é de extrema importância. O André conseguiu muito para o Estado pela postura e capacidade administrativa e pela credibilidade que ele tem com a classe política", afirma Jerson.

Heloísa Lazarini e Dany Nascimento