20 de junho de 2021
Campo Grande 25º 13º

ELEIÇÕES 2022

Lula inclui MS na maratona pela reconstrução democrática do País  

Em articulação nacional, ex-presidente conversa com Vander sobre frente contra o autoritarismo

A- A+

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem colecionando importantes apoios à ideia de construir uma frente popular e nacional pela reconstrução da democracia. Esta semana, reuniu-se em Brasília com influentes expressões de vários partidos e forças sociais, ampliando o arco de contatos fora do campo de esquerda. Para esse objetivo específico, Lula vem encorpando lideranças com o perfil ajustado para o diálogo e o entendimento fora de campos ideológicos estreitos.

Uma das lideranças com quem Lula conversou e convocou para essa mobilização é o deputado federal Vander Loubet (PT/MS). Ambos se reuniram na quarta-feira, 05, no hotel em que o ex-presidente estava hospedado. "Falamos basicamente sobre como organizar, ampliar e avançar com a organização de uma frente nacional e apartidária, capaz de barrar as tentativas de golpe institucional, de afastar todas as ameaças que pairam sobre o estado de direito democrático", explicou Loubet.

OBJETIVO COMUM

Segundo o parlamentar, Lula por si mesmo é um líder que já contagia, atrai e instiga diferentes representações sociais e políticas. "Há um objetivo comum que pode unir todas as forças que não aceitam a ditadura e o obscurantismo. "Mas esta não é uma luta exclusiva das esquerdas ou de um indivíduo", assinala. "O centro e a direita têm vozes sensatas, afinadas com a ordem democrática. E o Lula tem esta consciência. Sabe que tem um papel, que é seu e que precisa exercer, mas dentro de um contexto plural. Ele entende e insiste ser preciso sonhar com quem quer sonhar junto".

Ao sublinhar a importância de atitudes como a de Lula, fazendo a operação da soma e evitando aventuras isolacionistas, Loubet comemora a certeza de que o chamamento à unificação do Brasil pela democracia já tem outros porta-vozes em ação. "Gesto, grandeza dos verdadeiros democratas, é disso que o Brasil precisa agora, mais do que nunca. O próprio Lula vem repetindo que não quer ser dono desse processo, que não impõe seu nome e que está pronto para debater esse processo dentro do mais amplo entendimento, coletivo, consensual", acentua.

Loubet lembra que em Brasília Lula conversou com políticos e dirigentes de peso diferenciado e vários matizes, como o deputado federal Marcelo Freixo (Psol/RJ); o ex-presidente José Sarney (MDB); o ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); o ex-prefeito de São Paulo e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab; os deputados federais Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Alessandro Molon (PSB/RJ); e o senador Fabiano Contarato (Rede/ES).

PERFIL AJUSTADO

Reunião com lideranças.  Em articulação nacional. Foto: Reprodução 

Para ampliar esse processo e fortalecer sua musculatura, Lula pontuou que políticos com o perfil de Loubet são essenciais, por tratar-se de um desafio que exige muita vocação para o diálogo, capacidade, paciência e uma argumentação eficiente para atrair segmentos que não fazem parte do campo da esquerda, alguns até em linhas opostas. E o ex-presidente, conhecedor da história do PT de Mato Grosso do Sul, sabe muito bem o exercício vitorioso de Vander Loubet na costura de apoios que garantiram a governabilidade nos oito anos da gestão de Zeca do PT.

O ex-governador é outra aposta de Lula para massificar a frente pela democracia em Mato Grosso do Sul. Num primeiro momento, segundo Vander Loubet, o trabalho será recompor e revitalizar a relação entre forças políticas e os movimentos sociais. "E num segundo momento, construir a estratégia eleitoral para fazer as disputas. No nosso caso, o próprio Lula disse que ficou feliz quando soube que a restituição dos seus direitos políticos trouxe ânimo novo ao Zeca e o fez admitir que pode ser outra vez candidato ao governo", relata Loubet.

No final da conversa, e demonstrando seu carinho com Mato Grosso do Sul, Lula tirou da memória um episódio revelador de sua identificação com o Estado. Vander Loubet relata:

— O Lula contou que estava com o então prefeito Nelsinho Trad, em um giro por ruas de Campo Grande. Ao passarem por um conjunto habitacional, Nelsinho apontou e falou: "Tá vendo, presidente? Foi o senhor quem fez", numa referência ao Programa Minha Casa Minha Vida. Mais adiante, outra obra e o prefeito aponta: "Essa aí é outra que o senhor deu pra cidade, presidente". E o passeio teve outros instantes assim, "o que evidenciou a dimensão do olhar de um governante para as necessidades de seu povo", conclui Vander Loubet.