04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Mantega afirma que Brasil passa por “3ª fase” da crise mundial e aprova ajuste de Levy

Em audiência pública na Comissão Parlamentar (CPI) do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na última terça-feira (27), o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, defendeu o ajuste fiscal proposto pelo atual ocupante da pasta, Joaquim Levy. Durante o evento que durou mais de quatro horas, Mantega julgou “necessário que o país passe por um reequilíbrio das contas públicas ao fim de um ciclo de crescimento” para alavancar novos rumos econômicos.

Dificuldades

De acordo com o ex-ministro, a crise pela qual o Brasil passa, influenciando baixo crescimento, inflação alta e aumento do desemprego, é resultado do prolongamento da crise internacional. “A crise atrapalhou tudo. A gente não esperava que ela se prolongasse. Seguindo a projeção do FMI [Fundo Monetário Internacional], o mundo já teria se recuperado em 2013”, afirmou. Otimista, Mantega, analisou que o Brasil tem condições de superar a crise, principalmente porque mantém um grande estoque de reservas internacionais, atualmente em torno de US$ 371,5 bilhões.

Emergentes em crise

O ex-ministro da Fazenda disse ainda que 2015 será o ano mais difícil dos países emergentes, marcado pela desvalorização cambial, pela queda do preço das commodities (bens primários com cotação internacional) e fuga de capitais. Para ele, a crise econômica iniciada em 2008 está na terceira fase, com impacto sobre os países emergentes, como o Brasil, a China e a Rússia. Segundo Mantega, a crise teve como epicentro os Estados Unidos, na primeira fase, e a União Europeia, na segunda.