28 de fevereiro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Investigação

Marina Silva prefere não comentar sobre suposto esquema da morte de Campos

A Ex-senadora Marina Silva, líder da Rede Sustentabilidade, não quis comentar o suposto esquema de corrupção envolvendo o avião que transportava Eduardo Campos (PSB), no dia de sua morte, em que própria fez uso para concorrer as eleições de 2014. 

Marina não quis falar sobre a operação Turbulência, deflagrada nesta terça-feira (21), pela Polícia Federal,  ela alega que ainda não tomou conhecimento da investigação e que vai esperar o PSB se pronunciar. 

Segundo a PF as empresas envolvidas na compra do jato Cessna Citation PR-AFA, eram de fachada no nome de laranjas, além disso há evidências de que essas empresas realizavam transações com empresas fantasmas, e que algumas são investigadas pela Lava Jato. De acordo com os investigadores, o esquema se encontra ativo desde 2010.

A operação Turbulência culminou na prisão dos empresários Apolo Santana e João Carlos Lyra, que compraram o jato Cessna Citation PR-AFA. Eles atuavam em Pernambuco, Estado pelo qual Campos foi governador por dois mandatos, antes de se candidatar a presidente em 2014, tendo Marina Silva como vice.( Com informações do site Terra)