20 de abril de 2021
Campo Grande 30º 20º

Eleições 2016

Marquinhos cresce, Rose cai e ninho tucano está em alerta

Pesquisa do Ibope já não tem o empate técnico entre líderes e aponta Bernal fora do 2º turno

A- A+

A cúpula do PSDB e a coordenação de campanha decidiram promover mudanças profundas no formato e no conteúdo da campanha de Rose Modesto em Campo Grande. Estão sob pressão dos números da pesquisa do Ibope divulgados nesta sexta-feira, 16, pela TV Morena, apontando que Marquinhos Trad (PSD) abriu boa vantagem na liderança, com 41% das intenções de voto contra 22% da candidata tucana. 

Para expressivos segmentos e interlocutores do bloco de aliados a campanha de Rose mostrou-se muito vulnerável aos ataques dos adversários, retardou a ofensiva e agora divide-se entre defender e contra-atacar, confundindo ações e argumentos. Mais preocupante ainda é a avaliação de observadores influentes que reconhecem riscos, mesmo pequenos, de a eleição ser decidida já no primeiro turno. 

 

O resultado da amostragem justifica a apreensão que sacode o ninho tucano. Em relação à pesquisa anterior do mesmo instituto, divulgada no dia dois passado, Rose caiu de 25%¨para 22%, perdendo três pontos, enquanto Marquinhos cresceu 10, saindo dos 31% para 41%. 

Com isso, a perda de Rose é de 13%, somando o que ela perdeu e o que seu rival ganhou. E desaparece também o equilíbrio registrado entre ambos 14 dias antes. Naquela pesquisa, ele tinha 31% das intenções de voto e ela 25%, uma diferença de seis pontos. Como o instituto adota margem de erro de quatro pontos para mais ou para menos, essa diferença lançava os dois no território do empate técnico. 

Por sua vez, o prefeito Alcides Bernal (PP), candidato à reeleição, continua com pontuação que ainda o exclui do segundo turno, embora tenha crescido um ponto (de 10% para 11% entre as duas pesquisas do Ibope). Seu maior problema é a rejeição, que mesmo estacionada nos 35%, continua elevada. Nesse quesito, os líderes podem festejar: conseguiram baixar os índices de rejeição. Marquinhos saiu de 18% para 15% e Rose de 17% para 13%.

 

SEM FÔLEGO - Os outros 12 pretendentes à Prefeitura não apresentam no mais recente tabuleiro do Ibope índices que signifiquem ameaça aos três primeiros colocados. No bloco de baixo da tabela o melhor desempenho é o de Coronel David (PSC), com 3%. Alex do PT, Rosana Santos (PSOL), Athayde Nery Jr (PPS) e Marcelo Bluma (PV) têm 1%. Não foram citados - portanto, índice de zero ponto - Pedrossian Filho (PMB), Suel Ferranti (PSTU), Aroldo Figueiró (PTN), Lauro Davi (Pros), Adalto Garcia (PRTB) e Elizeu Amarilha (PSDC).

A pesquisa Ibope, contratada pela Rede Centro América Ltda/TV Morena, foi realizada nos dias 13, 14 e 15 deste mês junto a 602 eleitores da cidade. Seu registro na Justiça Eleitoral tem o protocolo MS-01963/2016. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

 

SEGUNDO TURNO - O Ibope também aferiu as intenções de voto para um eventual segundo turno e sugeriu três diferentes cenários aos entrevistados, simulando concrontos entre os três primeiros colocados da pesquisa. Marquinhos, líder da preferência eleitoral para o primeiro turno, venceria qualquer um dos adversários. 

Contra Rose, o candidato do PSD teria 47% e ela 31%, sendo 15% os brancos e nulos e 6% os que não sabem ou não responderam. Se for Bernal o adversário do segundo turno, Marquinhos também venceria, e mais folgadamente: 57% a 24%, com  13% de brancos e nulos e 6% que não sabem ou não responderam. No caso de um segundo turno entre Rose e Bernal, a tucana venceria com quase o dobro dos votos: 50% a 26%, sobrando 17% de votos em branco ou nulos e 7% de eleitores que não sabem ou não responderam.