13 de abril de 2021
Campo Grande 33º 21º

Eleições 2016

Marquinhos fará parcerias com os governos para acabar com favelas

O candidato a prefeito de Campo Grande pelo PSD, Marquinhos Trad, afirmou que pretende buscar parcerias com os governos estadual e federal para resolver o problema com as favelas. Marquinhos ressaltou a importância de desenvolver projetos para captar recursos e construir moradias dignas para milhares de famílias que vivem em condições subumanas.

O candidato lembrou que, no período em que esteve à frente da extinta Secretaria Municipal de Assuntos Fundiários, entre 1997 e 2014, desenvolveu ações para acabar com 117 núcleos de moradias subumanas, tornando Campo Grande a primeira Capital do país sem favelas.

Marquinhos lamentou o fato de, de lá para cá, as iniciativas terem sido estagnadas e a falta delas terem contribuindo para surgimentos de novas favelas.

“Nos últimos anos o que temos visto é uma verdadeira multiplicação das favelas. A Cidade de Deus é um exemplo disso. Por falta de políticas habitacionais, uma favela se transformou em quatro. Não é possível mais convivermos com esse tipo de situação, é preciso gestão, projetos e parcerias”, afirmou o candidato, durante entrevista na tarde desta terça-feira (20) à TV Imaculada.

O candidato destacou ainda ações para as áreas de infraestrutura, educação, saúde e transporte público, elencadas através do contato direto com a população com a realização do projeto “Conversa com a Nossa Gente”.

Marquinhos se comprometeu a investir na valorização dos servidores públicos de um modo geral com a criação do Plano de Cargos e Carreiras para várias categorias. Na questão da Saúde, reiterou a necessidade de reestruturar a atenção básica e preventiva.

“Nós temos que desenvolver ações para tornar a saúde pública mais eficaz, não apenas uma coisa passageira.... Temos que dar eficiência aos serviços, começando pela valorização do profissional e melhorando toda a estrutura física e de atendimento”, reiterou.

Quanto ao déficit de vagas nos Ceinfs (Centros de Educação Infantil), o candidato afirmou que será necessário terminar as obras em andamento e construir novas unidades. Na valorização dos profissionais, o candidato se comprometeu a garantir o pagamento do piso nacional por 20h aos professores.

“Temos 16 Ceinfs semiprontos, que poderiam estar alocando de 3 a 4 mil crianças, frente ao déficit de quase 10 mil vagas. Vamos retomar e terminar essas obras.  Construir e ampliar novos Ceinfs para aumentar vagas e diminuir o déficit. Educação é um direito da criança e de todos”, finalizou.