18 de abril de 2021
Campo Grande 30º 20º

Eleição 2016

Marquinhos faz caminhada no Centro e defende mais segurança

O candidato do PSD a prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, e a candidata a vice, Adriane Lopes (PEN), retomaram a campanha, na manhã desta terça-feira (4), após saírem do primeiro turno como os mais votados em Campo Grande. Marquinhos e Adriane caminharam pelo Centro da cidade, onde concederam entrevista e conversaram com eleitores, defendendo mais segurança.

“Estou passando para agradecer a expressiva votação. Foram quase 150 mil pessoas que saíram da sua casa, democraticamente, para votar no nosso programa de governo. São 35% apoiando nossa candidatura e não temos apoio nem do Governo do Estado e nem da administração municipal. Uma candidatura independente, que nasceu nos bairros e cresceu nas ruas. Algo fantástico, que só pode ser de Deus mesmo”, agradeceu.

O deputado retomou a campanha, agora no segundo turno, com o mesmo pensamento, de apresentar propostas exequíveis, sem mentiras e falsas promessas. “Vamos continuar falando a verdade, sem mentiras ou prometendo coisas gigantescas que depois não conseguiremos entregar. Continuamos de cabeça erguida, mãos limpas e, sobretudo, falando a verdade”, pontuou.

Marquinhos recebeu pedidos de melhoria principalmente na segurança para o Centro de Campo Grande. A empresária Rosângela D’ávila contou que foi assaltada mais de uma vez e não se sente segura ao chegar para o trabalho todos os dias no início da manhã. “Acredito que o Marquinhos possa melhorar isso. De manhã é bem deserto e não temos segurança”, relatou a comerciante, que tem um estabelecimento na Rua Rui Barbosa.

O candidato do PSD contou a Rosângela que o índice de roubos aumentou 139% nos últimos anos e que, recentemente, nem o sistema da polícia estava funcionando. “Para fazer ‘blitz’ tem policiamento. Toda noite tem pelo menos nove pontos da cidade com policiais até com cavalo. Agora, segurança mesmo, só no Natal. Depois eles vão embora e a gente fica ai com esta insegurança”, criticou.

Marquinhos também defendeu alternativas para estancar o número de desemprego que cresce assustadoramente em Campo Grande. “Em três anos, mais de 34 mil pessoas chegaram nas suas casas e encontraram marido, esposa ou filho e disseram: estou desempregado. Vamos fazer parceria com a Fiems, Associação Comercial e diversas outras instituições com intuito de trazer novas empresas, dando incentivo, mas desde que garantam a contratação de pessoas para recuperar o orçamento das famílias”, exemplificou.

Alianças

O candidato defendeu uma gestão participativa, com envolvimento de toda a população, sem excluir ninguém. Ele contou que ligou para quase todos os candidatos derrotados no primeiro turno e não descartou aliança programática.

“Tem que ter envolvimento para ter desenvolvimento. A cidade precisa melhorar muito. Liguei para quase todos eles (candidatos derrotados) para parabenizar. Pessoalmente, não falei com nenhum. Ainda não fizemos nenhuma aliança. Todos que desejam somar para melhorar Campo Grande serão bem vindos, sem toma lá da cá, barganha ou algo por conveniência. O espírito democrático tem que sobrepor ao espírito individual”, declarou.