29 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 20º

Moka garante que apoio de André a Dilma não prejudica Nelsinho

Com a proximidade das convenções partidárias, os membros do PMDB estão cada dia mais divididos em relação a qual presidenciável o partido em Mato Groso do Sul irá apoiar. O senador Waldemir Moka (PMDB) anunciou hoje que pretende seguir a decisão coletiva do diretório, seja ela qual for. "Meu posicionamento é partidário, respeito muito isso, por isso vou acompanhar a decisão do diretório que deve acontecer até dai 31 de junho data final das convenções."Moka faz análise otimista que põe terra abaixo as perspectivas mais drásticas daqueles que creditam em um possível racha dentro do PMDB por conta do apoio presidencial. Par o senador mesmo que o partido resolva apoiar a presidente Dilma Rousseff (PT) ou apenas o grupo ligado ao governador André Puccinelli faça isso, nenhuma das possibilidades irá interferir ou prejudicar a pré-candidatura de Nelsinho Trad ao governo do Estado. "A candidatura de presidente não influencia tanto assim, pois o pré-candidato a presidente vem ao Estado uma, duas vezes. Mesmo se o André apoiar a Dilma e o PMDB ficar com Campos não muda em nada para Nelsinho, pois todas as vezes que o Nelsinho e o André subirem em um palanque aqui será para pedir votos para Nelsinho. O partido hoje está 100% com Nelsinho", afirma. O senador acredita que nem mesmo o deputado estadual Jerson Domingos, presidente da Assembleia Legislativa, terá forças dentro do PMDB para dissuadir o apoio da base do partido a Nelsinho Trad. "O Jerson não tem tradição para isso. Ele e o governador apoiando a Dilma, isso não interfere em anda, pois todo PMDB irá somar forças e pedir votos para Nelsinho e Simone", finaliza Moka. Heloísa Lazarini