05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Odebrecht

Moro decreta sigilo de lista que mostra pagamento a 200 políticos pela construtora

O juiz federal Sergio Moro decretou nesta quarta-feira (23) sigilo sobre os documentos que trazem planilhas de pagamentos da construtora Odebrecht a políticos brasileiros. 

Moro havia autorizado divulgação dos documentos, que foram apreendidos pela Polícia Federal na 23ª fase da Operação Lava Jato com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente de infraestrutura da Odebrecht. As planilhas que contêm lista de nome de 200 políticos de 18 partidos não especificam se dinheiro foi doação de campanha ou pagamento de propina, porém, há detalhes como nomes, cargos, partidos, valores e inclusive apelidos dos políticos. As listas não esclarecem as circunstâncias dos valores, se foram repassados como doações oficiais ou caixa dois. Segundo a Polícia Federal, os pagamentos aconteceram nos anos de 2012 e 2014, durante campanhas eleitorais.

Os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR) e Humberto Costa (PT-PE) são mencionados. Eduardo Campos (PSB), morto em 2014 quando foi candidato à presidência também é citado.

Entre apelidos atribuídos: Jaques Wagner – Passivo; Eduardo Cunha – Carangueijo; Renan Calheiros – Atleta; José Sarney – Escritor; Eduardo Paes – Nervosinho; Humberto Costa – Drácula; Lindbergh Farias – Lindinho; Manuela D’Ávila – Avião; Romero Jucá – Cacique; Sergio Cabral – Proximus; Jarbas Vasconcellos Filho – Viagra.

Há ainda outros nomes citados: Celso Russomano, Paulinho da Força, Gabriel Chalita, José Serra, Arthur Virgílio, Rodrigo Maia, Jorge Picciani, Fernando Pezao, Fernando Haddad, Tarso Genro.