15 de maio de 2021
Campo Grande 28º 19º

Novo governo

Mourão não que ser "decorativo": vai propor que o presidente crie um centro de monitoramento

"Existe vice para trabalhar. Senão, acaba como figura", pontuou o vice de Bolsonaro

A- A+

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, não pretende ser decorativo no governo de Jair Bolsonaro. "Existe vice para trabalhar. Senão, acaba como figura", sentenciou ao G1.

O militar promete ser ativo e logo de início quer que o futuro presidente crie um centro de monitoramento do governo federal, que serviria para acompanhar o andamento dos principais projetos tocados pelo Estado.

Na comparação com o setor privado, Mourão explicou ao portal que o centro seria como um "conselho de administração" que acompanharia, por exemplo, o desempenho dos ministério na aprovação de matérias importantes, como a Reforma da Previdência.

Para evitar mal estar com ministros, que poderiam ver o centro de monitoramento como uma forma de enxugar as funções das respectivas pastas, de modo como ocorrerá com a Casa Civil, o vice-presidente vai sugerir a Bolsonaro que edite um decreto para a criação do "conselho de administração".