GEO AND DEVICES - POR TERO QUEIROZ

MS Notícias

sbado, 30 de maio de 2020

DESTRUIÇÃO

MPF apura denúncia sobre terminal em Porto Murtinho

Em Bonito e outras regiões, procuradores fazem varredura contra empresas e empresários que devastam a natureza

Por: REDAÇÃO11/06/2019 às 10:42
ComentarCompartilhar
Embarcações no Rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Ilha MargaritaEmbarcações no Rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Ilha MargaritaFoto: Reprodução

Com razões muito especiais para apostar no desenvolvimento regional e projetando seu contexto de influência pessoal e política, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) faz fé nos lucros que serão gerados pela rota bioceânica e os investimentos que vai agregar. Um dos tripés da estrutura plurimodal de escoamento (hidrovia, rodovia e ferrovia) que se estende do Brasil ao Chile, no acesso ao Oceano Pacífico, é o corredor fluvial a partir do Rio Paraguai, em Porto Murtinho.

E é exatamente nesse município de  15,5 mil habitantes, a 437 km de Campo Grande e na fronteira com o Paraguai, que um dos investimentos alimentadores da visão futurista de Azambuja atraiu a atenção do Ministério Publico Federal. Um dos novos terminais portuários que estão sendo construídos tornou-se esta semana alvo de suspeitas sobre graves irregularidades na obra. O MPF abriu investigação para apurar denúncias como a falta de licenciamento ambiental para a execução do Terminal Portuário Fluvial Itahum Export Comércio de Cereais Ltda.

O expedidor dessa licença no Estado é o Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). No caso do terminal, é obrigatória a habilitação com o EIA/Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental) e a licença de instalação. Só assim as obras podem ser iniciadas. E a estranheza para quem investiga aumenta quando se constata que, sem a autorização legal, os empreendedores fizeram procedimentos agressivos à natureza. Foram encontrados e registrados indícios de desfiguração artificial (por intervenção do homem e máquinas) da vegetação em uma área de preservação permanente, no entorno do futuro terminal.

RESERVA

Segundo foi verificado por técnicos e pessoas que denunciaram, a área abriga uma reserva de preservação reconhecida como patrimônio arqueológico e elencada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) entre as regiões que impões o máximo de cuidado no uso e a observância de rígidas normas técnicas e ambientais para serem exploradas. No caso murtinhense, o Instituto configurou a obra no Nível III, para a qual é imprescindível o Projeto de Avaliação de Impacto ao patrimônio Arqueológico.

Foram protocoladas pelo MPF duas denúncias formais, o que levou o órgão a solicitar reiteradas informações ao Imasul, que, curiosamente, não atendeu aos pedidos. Diante da situação, o Ministério Publico decidiu instaurar o Procedimento Preparatório, que é a a fase inicial de instalação das investigações. E dentro ainda de suas atribuições, o MPF requereu à Polícia Ambiental de Porto Murtinho que informe, com urgência, quais as graves infrações ambientais descritas nas denúncias.

EM BONITO 

O papel que é exercido pelo MPF vem ao encontro das expectativas de toda a sociedade e não-somente dos ambientalistas. Em Bonito a poluição e a desfiguração dos rios e de outros recursos naturais por causa da intervenção econômica também passa pelo mesmo pente-fino do Ministério Publico. O que intriga é a hipótese, a ser apurada, de influência política muito forte dando cobertura total a esses empreendimentos.

Alguns nomes de presença poderosa nos bastidores estão sendo levantados para que seus prepostos não sejam eleitos bodes expiatórios com a perspectiva de impunidade. É que a rota bioceânica será operada numa articulação de corredores multimodais dos mais rentáveis, de Porto Murtinho ao Chile, passando por Paraguai e Peru e dando o acesso aos maiores mercados continentais alcançados pelo Pacífico, como o da Ásia. E esse desenho superestima a visão  de lucros astronômicos, que justificariam toda a sorte de intervenções empresariais, em detrimento de exigências de sustentabilidade humana, ambiental e social.

As exportações são as meninas dos olhos dos investidores. As commodities brasileiras ganharão novo e amplo espaço. Porto Murtinho será um dos principais entrepostos do Mercosul, com notável incremento. Com as atividades de entrada e saída, calcula-se que em três anos vai triplicar e até quadruplicar o volume de algumas cargas, especialmente grãos, insumos e combustíveis. 

Deixe seu Comentário

TV MS

15 de maio de 2020
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua referência em jornalismo no Mato Grosso do SulRua José Barnabé de Mesquita, 948
CEP 79100.200 - Vila Duque de Caxias
Campo Grande/MS
 (67) 99309.8172

Editorias

Institucional

Mídias Sociais

© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma