18 de abril de 2021
Campo Grande 30º 19º

Nelsinho nega envolvimento em esquema e diz cassação de ‘prefeito corrupto’ foi legítima

Nelson Trad Filho (PTB) negou nesta quinta-feira (10), ao MS Noticias “qualquer tipo” de envolvimento no esquema que resultou na cassação do mandato do prefeito Alcides Bernal (PP), ocorrido em março de 2014. O ex-prefeito da Capital se pronunciou após vazamento, por emissora de televisão da Capital, do conteúdo do relatório da Operação Coffee Break que está sob avaliação do Procurador Geral de Justiça, Humberto de Matos Brittes.

O relatório concluído semana passada está sob secredo de justiça, entretanto, durante apresentação de jornal local foi divulgado nomes do ex-governador André Puccinelli e Nelsinho Trad, apontados pelo Gaeco por suposto envolvimento no esquema. “Não entendo como meu nome aparece se sequer fui chamado para depor, nunca recebi notificação durante todo esse processo de investigação do Ministério Público”, disse.

Segundo petebista, o processo de cassação de Bernal foi legítimo, já que, conforme Nelson Trad Filho foram comprovadas denúncias de irregularidades na administração do progressista. “ Se esse corrupto do prefeito foi cassado foi porque ele fez corrupção que foi comprovada pela Comissão Processante[instalada à época na Câmara de Vereadores] e abalizada pelo Ministério Público Federal”, dispara  Nelsinho ainda acrescenta que “nunca conversei com ninguém a respeito disso, não sei porque  meu nome foi citado”, ressalta.

Pelo fato de não ter tido acesso ao documento, Nelson Trad Filho alega que “ há distorções de valores em princípios constitucionais pelo fato de  ter meu nome sendo citado em um processo que não posso ter acesso.  Isso é um dano moral irreparável a mim e toda minha família”, desabafa. 

 

Leia também

• Relatório do Gaeco aponta envolvimento de 13 vereadores em suposto esquema para cassar Bernal

• Vereadores condenam vazamento de relatório e dizem que Bernal teve motivo para ser cassado