01 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

OPERAÇÃO ARARATH

Nova condenação: ex-secretário corrupto deve pagar 100 anos de prisão

Além disso terá que devolver R$ 50 milhões

O ex-secretário de Estado Eder Moraes foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão no âmbito da Operação Ararath, da Polícia Federal, por crimes de corrupção passiva e peculato. A decisão ainda determina a devolução de mais de R$ 52 milhões aos cofres públicos. Com isso, ele já tem uma pena superior a 100 anos de prisão.

De acordo com a decisão do juiz da 5ª Vara Federal de Mato Grosso, Jeferson Schneider, ficou comprovado que Eder teria gerenciado um esquema de empréstimos simulados para atender os seus próprios interesses e do grupo político que representava. 

O esquema teve como principal empresa da triangulação financeira, a Lince Construtora e Incorporadora Ltda, que pertencia ao empresário José Geraldo de Saboia Campos (falecido), delator do esquema, que em 2008, recebeu duas notas do governo do Estado em dívida por 9 anos de serviços prestados ao Estado, nos valores de R$ 10,6 milhões e R$ 6,8 milhões, totalizando R$ 17,4 milhões. 

Porém, tal autorização para o pagamento teria ocorrido de maneira irregular a mando de Eder Moraes. Em troca, Saboia se comprometeu a desistir de ações judiciais contra o Estado, sendo que parte do valor pago, retornaria para Eder Moraes, que indicou empresas para depósitos, que totalizaram R$ 4,3 milhões. “[...] Tendo cada uma recebido parte do valor total, para se proceder ao abatimento de créditos das mesmas empresas com o Estado e da quitação de mútuos bancários que possuíam com o Bic Banco”, diz trecho da denúncia.

OUTRO LADO 

Procurado pela reportagem, a defesa de Eder Moraes informou que aguarda a intimação da sentença para recorrer da decisão.

Fonte: Gazeta Digital