21 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Para Puccinelli, entrada de Azambuja na disputa eleitoral é positiva

Diante de uma rejeição da executiva nacional do PT sobre uma possível aliança entre o partido e o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) no Estado, as possibilidades do deputado federal Reinaldo Azambuja se lançar como pré-candidato ao governo do Estado aumentaram. Diante disso, o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã de hoje, que acredita em um possível segundo turno nas eleições para o governo do Estado caso o tucano resolva se lançar como pré-candidato. “Ele pode ser pré-candidato ao governo e isso seria muito bom para todos os candidatos. Se isso se concretizar, acredito que teremos um cenário para o segundo turno em Mato Grosso do Sul”.

Mas quando o assunto é até onde a pré-candidatura de Azambuja pode prejudicar o pré-candidato ao governo pelo PMDB, Nelson Trad Filho, André desconversa e garante que essa possível candidatura é um ponto positivo para todos os pré-candidatos. “Vai ser bom para todos os candidatados que estão na disputa, este cenário seria ótimo não apenas para o PMDB”, afirma o governador.

Questionado sobre uma possível aliança entre os peemedebistas e o Partido dos Trabalhadores, Puccinelli admite que procurou os petistas para uma conversa em 2012, solicitando a vaga de vice e Senado, mas o PT não aceitou. Dessa forma, André garante que não existe condição de fazer uma aliança com os petistas e aproveitou o momento para criticar o atual vereador Zeca do PT, que foi seu antecessor no governo do Estado afirmando que “levou um ano para tirar o nome do governo do Estado do cadastro de dívida pública”.

Dany Nascimento