19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Rompimento

Ministros querem manter cargos, mas Dilma diz 'não há espaço'

Depois da saída do PMDB da base aliada da presidente Dilma Rousseff, seis ministros anunciaram que não possuem a intenção de deixar o cargo, porém Dilma concluiu na noite desta quarta-feira (30) que já reformulou os ministros e que não há espaço para os peemedebista.

Nessa nova reformulação a presidente definiu em uma reunião com o ex-presidente Lula, que os ministros da antiga base aliada terão que dar espaço para o PP, PR e PSD. De acordo com a assessoria não tem nenhum cargo garantido, nem o do ministro da Saúde Marcelo Castro.

O líder do PMDB na Câmara dos deputados Leonardo Picciani (RJ) fez um apelo pedindo a permanência do ministro da saúde. Porém não surgiu efeito, o que foi decidido em reunião é que somente os cargos da Kátia Abreu (Agricultura), Hélder Barbalho (Portos) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) teriam os cargos mantidos. Os que perderiam os cargos seriam Mauro Lopes (Aviação Civil), Eduardo Braga (Minas e Energia) e Marcelo Castro da Saúde.

Dilma precisa de 40 votos a mais dos 136 que ela já teria na Câmara para que o processo de impeachment seja barrado. Pensando nisso os cargos devem ser oferecidos para PP (Saúde), PR (Minas de Energia) e possivelmente Aviação e Civil e Turismo.