04 de agosto de 2021
Campo Grande 28º 14º

Petistas lutam para garantir PTB em chapa com Delcídio

A- A+

Após a afirmação feita pelo presidente regional do PTB, Ivan Lousada, onde a probabilidade de o presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), não aceitar o convite para a vaga de senado na chapa do pré-candidato a governo do Estado,  Delcídio do Amaral (PT), os deputados federais petistas Antônio Biffi e Vander Loubet, garantem que os dois irão se reunir hoje para conversar sobre o assunto.

Com a desistência de Sérgio Longen (PTB), o partido poderá deixar de caminhar ao lado dos petistas e buscar novas conversas com o PSDB do também pré-candidato, Reinaldo Azambuja, que já havia buscado o partido em busca de apoio.

Para  Biffi e Vander, ter o PTB ao lado nesta campanha é de extrema importância para o Partido dos Trabalhadores, pois irá acrescentar a sigla. “Nós iremos sentir se eles deixarem de nos apoiar. O PTB já é consolidado no Estado, tem candidatos com representatividade, tem tempo de televisão que ajuda na chapa majoritária. Se eles não forem conosco só nos restará lamentar”, afirmou Vander.

Na tentativa de não perder o apoio do PTB, Delcídio irá se reunir hoje com Sérgio Longen, para uma conversa oficial, como adjetivou Biffi, para que, caso Sérgio não aceite o convite para senado, que o PTB caminhe ao lado dos Trabalhadores nas eleições de 2014. “ Eles irão conversar hoje a tarde. Inicialmente não tem nada certo, após a reunião de hoje terá a resposta oficial. O PTB pode não indicar o senado, mas pode ainda apoiar o PT”.

Caso Sérgio Longen desista do senado,  o “plano B” para ocupar  essa vaga será do diretor da Cassems Ricardo Ayashi. Quanto a suplência de senado, ambos os deputados afirmaram que o momento não é para discussão da suplência, mas sim fechar com o partido a vaga em aberto.

Os petistas já afirmaram que as conversas estão adiantadas com oito partidos,  sendo eles, PDT,  PR, PROS, PP, PV, PC do B, PSC, PSL, dentre outros. “Não estamos tendo dificuldades de quadro, tudo é uma questão de conversar, mas o “busão” já está cheio”, finalizou Biffi.

Tayná Biazus