11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

PHS

PHS emerge em Ponta Porã disposto a ampliar representação

Uma das forças emergentes do quadro partidário, o PHS (Partido Humanista da Solidariedade) quer comprovar que suas perspectivas de crescimento estão consolidadas em Ponta Porã. Com dois vereadores (Biro Biro e Rafael Modesto) e a previsão de eleger três em outubro, os solidaristas avaliam o quadro sucessório local. Por enquanto, as pré-candidaturas a prefeito que mais polarizam as atenções são o prefeito Ludimar Novaes (PDT), postulante à reeleição, e o engenheiro e ex-secretário de Obras, Hélio Pelluffo Filho (PSDB), que tem o apoio do ex-prefeito e atual deputado estadual tucano Flávio Kayatt.

 

Na sexta-feira passada (24/06) os militantes pontaporanense lotaram o plenário da Câmara de Vereadores para debater a conjuntura política, dar posse às dirigentes do PHS Mulher e tratar da campanha de filiações. O presidente da Executiva Estadual, Emídio Milas, elogiou o empenho da executiva municipal e o trabalho de seu presidente, Almir Gonçalves (Baixinho), destacando as principais razões do vertiginoso crescimento da legenda no Estado.

 

“Somos uma força partidária que se move com um impulso maior, o do humanismo solidário. Isso é o que deveria ditar a convivência entre todas as pessoas. Por isso, o PHS é um partido democrático, aberto, que faz questão de cumprir seu programa e seus estatutos, além de respeitar as lideranças antigas que muito nos ensinam, mas sempre estimulando a afirmação de novos valores”, definiu. 

Ele acentuou que o PHS procura mesclar experiência e juventude em torno de ideias, especialmente as inovadoras, e com a coragem de encarar os temas mais polêmicos, como a defesa dos direitos humanos e o combate a todas as formas de preconeito e dicriminação. Citou entre os exemplos o papel da presidenta do PHS Mulher, Zuleide de Freitas, que assume uma missão complexa e de grande envergadura social: “Com certeza, sua capacidade e seu olhar sensível vão dar,  não só ao partido, mas às mulheres da fronteira, a visão generosa e construtiva de um empoderamento de essência humanista”.

 

Segundo Emídio Milas, a Executiva Municipal terá plena autonomia para encaminhar, debater e dar os rumos do partido na sucessão. “O Almir Baixinho, seus companheiros de executiva e toda a militância são cidadãos e cidadãs conscientes sobre nossas bandeiras programáticas. Temos duas opções, lançar chapa própria ou construir uma aliança em torno de programas comuns. Estou seguro e confiante que o melhor caminho será tomado, com maturidade e, sobretudo, espírito publico e de amor a Ponta Porã”.