14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

Eleições 2016

PHS vira em BH e pode ter sua maior vitória política e eleitoral

Khalil passa João Leite e partido está perto de fazer seu 37º prefeito e o primeiro de uma capital brasileira

Apesar da tenra idade - apenas 16 anos de registro - o Partido Humanista da Solidariedade é o que registrou o segundo maior crescimento em número de votos nas eleições de outubro. A sua capacidade de inserção social e política garantiu a eleição de 36 prefeitos e quase 900 vereadores em todas as regiões do País.  

Mas esses números podem mudar - e para melhor, com a possibilidade, agora ainda mais concreta, de ser eleito o 37º prefeito solidarista. Os resultados da mais recente pesquisa Globo/Ibope revelam que o candidato Alexandre Khalil (PHS) já ultrapassou João Leite (PSDB) a menos de duas semanas da eleição. E o cenário de disputa é Belo Horizonte, capital de Minas Gerais e quato maior colégio eleitoral brasileiro.

Só o desempenho eleitoral até agora em Belo Horizonte já põe o PHS em nova dimensão no mosaico das forças políticas nacionais. Se a vitória se confirmar dia 30, então o partido terá alcançado sua conquista mais importante de sua história com o registro do humanismo solidarista.

Desde o primeiro turno até à semana passada João Leite vinha liderando a preferência dos eleitores belorizontinos. Na véspera do primeiro turno o Ibope fez a pesquisa com simulação de segundo turno, aferindo que João Leite tinha 46% e Kalil 33%. No entanto, de acordo com a pesquisa divulgada ontem (quinta-feira, 20), as posições se inverteram. É Kalil que lidera, com 41%, seis pontos à frente de João Leite (35%). No primeiro turno, o tucano ficou em primeiro com 33,40% dos votos, contra 26,56% do adversário.

Com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos e 95% de índice de confiança, a pesquisa foi feita de 17 a 20 deste mês com 1001 eleitores e registrada com o número 02120/2016 no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG). O Ibope apurou também como ficariam os concorrentes considerando somente os votos válidos e a diferença pró-Kalil aumentaria para oito pontos (54% a 46%). Os votos brancos, nulos e eleitores que não votariam em nenhum dos dois candidatos somam 18% enquanto 6% se declararam indecisos.

O presidente nacional do PHS,Eduardo Machado, pondera que a pesquisa, mesmo sendo um retrato do momento, serve de estímulo para que toda a militância do partido multiplique seu esforço na reta final para garantir a vitória. Em Mato Grosso do Sul, o presidente estadual do partido, Emídio Milas, que acompanha o desempenho dos correligionários em Belô, destaca os resultados da pesquisa e a motivação renovada:

"A virada estava sendo desenhada, com o avanço da campanha e a crescente adesão da sociedade às nossas propostas. Mas não se comemora antes da hora. Como bem define o nosso presidente Eduardo machado, o PHS está unido, consciente do momento histórico que vive, mas mantém o foco principal que é atender ao chamado de Belo Horizonte, levando a campanha com responsabilidade e humildade até o fim e, vencendo, honrar a confiança da população", frisou Milas.