26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

OPINIÃO PÚBLICA

População faz avaliações semelhantes para Bolsonaro e Azambuja

No questionamento objetivo entre aprovação e desaprovação, governador tem apoio de 68,30% dos eleitores sul-mato-grossenses

Com 39,16% de bom e ótimo, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) obteve uma pontuação ligeiramente superior à que foi alcançada pelo presidente Jair Bolsonaro nesses mesmos itens: 38,23%. Este é um dos demonstrativos do levantamento feito pela Ranking Comunicação e Pesquisas para avaliar a opinião dos eleitores de Mato Grosso do Sul sobre o desempenho dos mandatos do presidente, do governador, dos senadores e dos deputados federais e estaduais.

A pesquisa foi realizada de 1º a 8 deste mês, com três mil eleitores entrevistados em 16 municípios: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Corumbá, Ponta Porã, Naviraí, Nova Andradina, Aquidauana, Sidrolândia, Paranaíba, Maracaju, Coxim, Amambai, Rio Brilhante, Caarapó, Costa Rica, São Gabriel do Oeste, Miranda, Ivinhema e Aparecida do Taboado. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro de 2,5%.

As semelhanças das pontuações atribuídas a Azambuja e Bolsonaro também estão assinaladas nos demais itens de avaliação: enquanto o desempenho do governador é avaliado com a indicação de “regular” por 32,06% dos eleitores e de “ruim/péssimo” por 18,20%, o presidente recebe, respectivamente, 28,16% e 20,60% para esses dois tipos de avaliação. Os indecisos e que não souberam responder somaram 10,58% nas entrevistas para avaliação de Azambuja e 13,01 no caso de Bolsonaro.

Outro item afirmativo em favor de Azambuja está nas respostas dos eleitores à pergunta objetiva sobre se aprova ou desaprova o governo do dirigente tucano. A larga maioria (68,30%) está aprovando, contra 31,70% que desaprovam.

SENADO

O senador Nelsindo Trad (PSD)

Para os sul-mato-grossenses, de acordo com a pesquisa da Ranking, o melhor desempenho entre os senadores é o do pessedista Nelsinho Trad (28,70%). Ele está à frente de Simone Tebet (MDB), que chegou a 23,16%, e Soraia Thronicke (PSL), que aparece com 29,84%. Não souberam e não responderam 53,72% dos entrevistados.

Entre os deputados federais, o melhor avaliado é Fábio Trad, do PSDm com 14,50% das citações. Em seguida, Rose Modesto (PSDB), com 9,20%; Tio Trutis (PSL), com 7,33%; Luiz Ovando (PSL), com 5,16%; Bia Cavassa (PSDB), com 4,06%; Beto Pereira (PSDB), com 3,00%; Vander Loubet (PT), com 2,13%; e Dagoberto Nogueira (PDT), com 0,90%. O grupo de quem não soube ou não respondeu somou 53,72%.

ESTADUAIS 

O deputado estadual por Mato Grosso do Sul, Capitão Contar (PSL). Foto: ALMS 

Dos 24 deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, coube ao Capitão Contar (PSL) a mais alta taxa de desempenho segundo a avaliação dos eleitores: 8,20%.

O deputado estadual por Mato Grosso do Sul, Marcio Fernandes (MDB).  Foto: ALMS 

Ele está a menos de um ponto percentual do segundo colocado, o emedebista Márcio Fernandes, com 7,03%. Em faixas situadas na margem do empate técnico vêm a seguir Coronel David, do PSL, com 6,33%; Neno Razuk, do PTB, com 6,16%; Lucas de Lima, do Solidariedade, com 5,50%; Marçal Filho, do PSDB, com 5,13%; Cabo Almi, do PT, com 5,00%; e Jamílson Name (sem partido), com 4,06%.

O deputado estadual Gerson Claro (PP). Foto: ALMS 

Um terceiro bloco é formado por deputados estaduais cujas avaliações também se equiparam nos patamares do empate técnico: Gerson Claro, do PP, com 4,00%; Paulo Corrêa, do PSDB e presidente da Assembleia, com 3,03%; Felipe Orro, do PSDB, com 2,33%; Lídio Lopes, do patriota, com 2,13%; Renato Câmara, do MDB, com 2,00%; e Antônio Vaz, do PRB, com 1,50%. Por fim, com 1,10%, aparece Evander Vendramini, do PP. Somam 36,50% os que não sabem ou não responderam ao quesito apresentado pelos entrevistadores.