27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

Pré-candidato, rapper diz ser contra vacina da Covid-19: "Essa é a marca da besta"

Apoiador de Donald Trump, rapper diz ter rompido com o presidente para concorrer eleições. Oposição diz que West quer apenas dividir votos para dar chances à Trump

O pré-candidato a presidente e rapper americano Kanye West revelou, em entrevista à revista Forbes, que testou positivo para a covid-19 em fevereiro deste ano de 2020 e que é contra as vacinas para combater o vírus. Segundo o rapper, é preciso pedir a Deus proteção e parar de fazer coisas que "enlouqueça" Deus. "Nós rezamos. Oramos pela liberdade. É tudo sobre Deus. Precisamos parar de fazer coisas que enlouquecem a Deus", afirmou.

West também afirmou. "Essa é a marca da besta", argumentando que vacinas estariam prejudicando a saúde de crianças.  "Muitos de nossos filhos estão sendo vacinados e paralisados. Então, quando eles dizem que a maneira de curar o Covid é com uma vacina, sou extremamente cauteloso", disse.

O rapper indicou que não apoia mais o presidente dos EUA, Donald Trump, na corrida presidencial americana e disse que iria concorrer para vencer a disputa, em uma entrevista à revista Forbes publicada hoje.  

West também negou que seu objetivo seja dividir o voto dos eleitores negros e prejudicar as chances do adversário democrata de Trump, Joe Biden. Segundo ele, sugerir que todos os negros deveriam apoiar os democratas é "uma forma de racismo e supremacia branca".

Trump, que chegou a receber o rapper no Salão Oval em 2018, disse, antes da publicação da entrevista de West, que a candidatura dele "seria um grande teste" e que ele tinha uma "voz real".

O cantor foi ainda mais longe com as suas 'teorias da conspiração' e disse: "Eles querem colocar chipes dentro de nós, querem fazer todo tipo de coisa para fazer com que não possamos atravessar os portões do céu", apontou.