28 de julho de 2021
Campo Grande 14º

Política

Prefeitura de Maracaju se reúne com diretores da ASSEMA.

A- A+

Prefeitura de Maracaju se reúne com diretores da ASSEMA.

Prefeito Marcos Calderan, Procurador Geral Dr. Alessandre Vieira e Secretário de Saúde Thiago Caminha explanaram números e condicionamentos jurídicos quanto ao cumprimento do Decreto Estadual 15.693.

Na manhã desta terça-feira 15-06 a Prefeitura de Maracaju, devidamente representada pelo Prefeito Marcos Calderan, Procurador Geral Dr. Alessandre Vieira e o Secretário de Saúde Thiago Olegário Caminha se reuniram na sede da entidade com os diretores da ASSEMA Associação Empresarial de Maracaju para esclarecimentos quanto ao necessário cumprimento do Decreto Estadual nº 15.693 de 9 de Junho de 2021 do Governo do Estado, participou também da reunião o Presidente da Câmara Robert Ziemann.
A reunião teve o objetivo de informar e ouvir a classe empresarial, bem como apontar as dificuldades encontradas para a manutenção do equilíbrio entre saúde e economia que são debatidas desde o início da pandemia do novo coronavírus iniciada no ano passado, tratando-se de um problema enfrentado de forma mundial.

O Prefeito Marcos Calderan esclareceu compreender e entender o momento difícil enfrentado pela classe empresarial, salientando que o comércio não é culpado pela propagação do vírus, mas precisa contar com o apoio de todos para a busca da conscientização da população, afirmou ainda que neste momento não é possível deixar de cumprir o Decreto Estadual, diante de diversos fatores, entre eles a questão da saúde do município que conta atualmente com 7 (sete) pacientes entubados e outros 10 (dez) internados, além dos em Hospital de Referência, ambos já estão atendendo acima de sua capacidade, bem como a recente necessidade de pacientes maracajuenses sendo transferidos para outros estados, diante da falta de leitos em todo o estado, deixando famílias em situação dramática e a espera por dias melhores com seus entes queridos sendo atendidos em outros estados da federação.
"Desde o início, elencamos como prioridade o combate a pandemia e reforçamos o nosso sistema de saúde com a compra de equipamentos, materiais, remédios e tudo que for necessário para o atendimento aos nossos pacientes, mesmo enfrentando dificuldades na entrega e até mesmo escassez de insumos, diante da procura alta em todo o país, mas salientamos que temos uma preocupação maior ainda com os recursos humanos, não há mais médicos, fisioterapeutas e enfermeiros disponíveis, bem como os que estão na linha de frente já estão enfrentando cansaço, devido a pressão que é atuar na linha de frente da pandemia." Explicou Marcos.

Marcos Calderan também salientou que os municípios e prefeitos que optaram por descumprir o Decreto Municipal já estão sofrendo sanções jurídicas da Procuradoria Jurídica do Estado, bem como, Maracaju conta com um acordo firmado com o Ministério Público desde o ano passado que o impede de realizar medidas mais flexíveis que o Decreto Estadual e o Prosseguir, inclusive sob pena de R$ 150.000,00 por descumprimento, tal fato geraria um custo para o município e, consequentemente para a população.

O Comandante da Polícia Militar Major Edcezar Zeilinger destacou que o município acerta ao suspender a venda e consumo de bebidas alcoólicas, classificando-as como uma das responsáveis pelas aglomerações clandestinas, tão combatidas pelas forças de segurança, bem como garantiu que mais forças policiais serão enviadas a cidade, justamente para coibir o descumprimento do Decreto Estadual por parte de todos, principalmente das pessoas, ou seja, casas, residências e locais de lazer, deixando claro que somente assim, não haverá mais sanções a classe comercial.
Os diretores da entidade entregaram ainda um documento endereçado ao Prefeito e outras autoridades, reafirmando serem contrários as medidas, bem como pedindo maior fiscalização e punição a aglomerações clandestinas que de fato prejudicam a classe empresarial.