27 de setembro de 2021
Campo Grande 34º 22º

Política

Prefeitura e CTG analisam plano emergencial para barreira da usina

A- A+

Mais uma reunião, dessa vez virtual, foi realizada para discutir o Plano de Ação de Emergência para prevenção e segurança principalmente na região à jusante da barreira do Jupiá.

O Plano estabelece ações e fluxogramas de comunicação em caso de emergência na barragem.

As ações começaram em 2019 e estão sendo elaboradas por técnicos da CTG Brasil. O Prefeito Angelo Guerreiro, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil e a Secretaria de Infraestrutura estão integrando o processo que inclui um plano municipal de contingência.

Os técnicos já mapearam toda a região abaixo da usina, principalmente o bairro Jupiá, e estabeleceram uma zona de salvamento que será toda sinalizada nos próximos dias.

Conforme o Secretário de Administração Adriano Barreto, que participou da reunião, é um trabalho de prevenção. A barragem é totalmente segura, não corre nenhum risco mas, são necessárias ações de conscientização dos moradores, especialmente aqueles que estão dentro de um perímetro de risco.

Segundo o Coordenador da Defesa Civil, Welton Irmão, o mapeamento alcança uma área de 10 quilômetros à jusante da barreira. O projeto inclui ações complementares que identificaram os prédios, casas, e demais propriedades dentro dessa área, identificando o número de moradores, se têm pessoas com algum problema de locomoção, enfim, todo um banco de dados.

Em agosto os técnicos da empresa CTG e da Prefeitura começam um trabalho de conscientização, fixação de placas de direcionamento para rota de evacuação e implantação de sirenes de alerta.

Os engenheiros da empresa alertaram que todas as ações serão antes comunicadas à comunidade para evitar preocupações. Estão previstas também a realização de simulações com a população da área de risco.

"Não há nenhum perigo detectado. O Plano de Ação é preventivo para trazer mais segurança à população e vamos agora colocar isso em prática", reafirmou Welton Irmão, da Defesa Civil.

Na área de alto salvamento estão catalogados 64 propriedades e 138 moradores.

Participaram também da reunião, os engenheiros da China Three Gorges Brasil Energia, Ludmila Freitas, Douglas Ferreira, Taís Amadio e Natália Caldeira.