16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Sisem x Sintesp

Presidente de sindicato diz, ‘relação com Bernal é apartidária’

Marcelo Luciano Ferreira presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública de Campo Grande (Sintesp), declarou na manhã desta quarta-feira (3) que sua‘relação com Bernal é apartidária’.

O presidente do sindicato foi alvo de críticas do presidente do Sisem, Marcos Tabosa, por ter aberto uma ação civil que pede suspensão do reajuste salarial dos professores caso a medida não se aplique também aos profissionais da saúde. 

“Não somos contra o aumento para os profissionais da educação, a nossa ação é pedindo que esse aumento se estenda para outras categorias, pois os agentes da saúde não tiveram aumento no ano passado, e não é justo ter um tratamento diferenciado”.

Marcelo diz ainda que foram abertas duas ações com o mesmo objetivo, então o sindicato desistiu de uma, porém a ação continua. “No dia 22 de janeiro deste ano foi aberta uma ação pedindo o reajuste salarial, porém aconteceu um erro no sistema, então no dia 24 foi aberta outra ação com o mesmo objetivo, então a primeira ação foi cancelada, mas a segunda está em andamento.”

O presidente da Sintesp se defende das acusações feitas pelo presidente do Sindicato dos Servidores de Campo Grande (Sisem) Marcos Tabosa que disse ao MS Notícias que Marcelo seria “amigo” do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), e que essa ação teria o objetivo de dificultar o acordo entre o prefeito e os professores. “Isso é uma manobra política do prefeito com esse sindicato, pois eles são amigos e possuem relações políticas, na verdade essa ação foi aberta só para dificultar a negociação com os professores”. Diz Tabosa.

O presidente do Sisem diz ainda que o Sintesp não é um sindicato por não possuir carta sindical. “Eles nem podem representar uma categoria como sindicato, eles não possuem carta sindical, o que caracteriza ainda mais isso se tratar de um acordo com prefeito.”

Marcelo se defende dizendo que a relação com Bernal é 'apartidária' e que só está pedindo o que acha justo. Com relação à carta sindical, o presidente da Sintesp afirmou que o pedido já foi feito e que ele pode sim representar o sindicato. “Minha relação com Bernal é apartidária, estamos correndo atrás de um direito que é nosso. Sobre a carta sindical, foi feito o pedido em dezembro, tenho até o protocolo, fiquei sabendo que o pedido já está em Brasília e já foi aprovado, é só esperar chegar”.