17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Prioridade do governo de Azambuja é a saúde em MS

A- A+

Quem participou do programa Tribuna Livre na manhã de hoje foi o candidato ao governo do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). O tucano falou mais uma vez sobre seus planos de governo, como redução da alíquota do gás e extinguir o ICMS (Imposto Sobre Comércio de Mercadorias e Serviço) garantido das micro e pequenas empresas, e também sobre as trocas de farpas entre ele e o candidato Delcídio do Amaral (PT), durante o horário eleitoral. O candidato deu início, respondendo perguntas sobre a campanha no segundo turno. Para o tucano, mesmo com poucos dias que antecederam, o partido conseguiu levar, mais uma vez a mensagem e as propostas aos eleitores, que tem como prioridade os programas para a saúde regionalizada, o desenvolvimento regional, a produção garantida, a desoneração fiscal, dentre outros. Para o tucano, o que merece mais atenção, para o início do seu mandato, caso eleito, é a saúde. Azambuja se comprometeu eu fazer os mutirões de saúde, diminuindo assim as filas de pacientes que esperam por tomografia, ressonância e outros exames, para após, organizar o sistema de saúde, terminando as obras do Hospital do Câncer e do Trauma, e também concluindo hospitais do interior, como em Dourados, Três Lagoas e Corumbá, abrir concursos para servidores da  saúde para que as filas de espera diminuam. Sobre a política fiscal, o candidato garantiu que não há porque temer, quando se fala em diminuir a alíquota do óleo diesel. Um dos motivos é que, hoje, com a alíquota em 17%, os caminhões não são abastecidos no Estado, com a redução, o consumo irá aumentar. Já, referente a redução do ICMS garantido, a competitividade comercial também aumenta, fazendo com que seja ampliada a base arrecadatória.  “A reforma tributária é importante, precisa disso, no Estado precisa flexibilizar para melhorar competitividade de Mato Grosso do Sul com os outros  estados”, disse. Azambuja disse ainda que, todos os planos de governo tem o apoio do presidenciável Aécio Neves, que também se comprometeu em contribuir da melhor maneira possível com o Estado, destinando recursos.  “O programa tem apoio do Aécio, tendo assim oportunidade para gerar riqueza e renda e comercialização produtos. O Aécio se comprometeu em relação as melhorias na infraestrutura rodoviária, ferroviária e a melhoria de aeroportos. Também assumiu compromisso com a segurança pública que está  abandonada na fronteira e Aécio vai cuidar.” Referente aos conflitos indígenas, o candidato acredita que  a indenização deve ser realizada nos valores atribuídos a terra nua e às benfeitorias. “Já tivemos época de paz entre índio e produtor. Nos últimos anos tivemos morte dos dois lados, vamos criar Superintendência de Assuntos Indígenas para levar produção, saúde, educação e desenvolvimento social e turismo para as aldeias, para que conheçam a realidade, queremos um governo de paz”. Finalizando, Azambuja falou sobre os ataques entre ele e o petista durante o horário eleitoral. O candidato avalia como prejudicial, já que a propaganda política deveria acontecer para apresentar as propostas de cada um. “Gostaria de estar debatendo o que cada um pode fazer pelo desenvolvimento do Estado, mas se você é atacado, temos que responder, mostrar o que o adversário fala e faz. As denúncias são prejudiciais, foge do debate, eu pedi explicações a ele”, defendeu-se. Tayná Biazus