20 de abril de 2021
Campo Grande 30º 20º

Política

Professor Rinaldo pede atenção à saúde mental durante a pandemia

A- A+

Um grande desafio tanto para os indivíduos quanto para o poder público é a questão da saúde mental. Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (8), o deputado Professor Rinaldo (PSDB) disse que os sintomas de depressão e ansiedade estão crescendo com a pandemia da Covid-19.

"Pesquisas revelam que estão aumentando os casos de ansiedade e depressão, além disso as pessoas têm abusado de bebidas alcoólicas e muitas desenvolveram distúrbios do sono. Indivíduos diagnosticados com doenças mentais estão lotando o sistema de saúde. Trata-se de uma situação muito preocupante e que necessita de atenção de todos", falou.

Em novembro do ano passado, o  deputado Marçal Filho (PSDB) apresentou o Projeto de Lei 218/2020, que institui em Mato Grosso do Sul a Política Estadual de Atenção à Saúde Mental das Vítimas da Covid-19. O Sistema Único de Saúde (SUS) será responsável pela implementação e execução das ações e serviços a serem oferecidos às vítimas do novo coronavírus no Estado. 

Para a execução das ações e serviços oferecidos no âmbito desta política, serão utilizados os recursos humanos e materiais que, de forma direta ou indireta, já estejam à disposição do SUS, além de outros que poderão ser contratados para essa finalidade específica.

A política a ser implementada também contará com a realização de campanhas de conscientização acerca da importância da assistência à saúde mental das vítimas da Covid-19 que necessitem deste tipo de atendimento. Tais campanhas trarão orientações acerca de medidas para o enfrentamento de sentimentos como medo e estresse, e estratégias de cuidado em saúde mental.

Professor Rinaldo é o relator do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Ele adiantou que apresentará relatório favorável à regular tramitação. "O medo, as mortes, as sequelas e o distanciamento social impactam a saúde mental da população.  Esse projeto é extremamente importante e espero que se torne lei em Mato Grosso do Sul", afirmou.