22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

Promotor pede em representação criminal que ex-assessor de Olarte responda por calúnia e difamação

Leia também

• Oitivas com testemunhas de vereadores investigados na Coffee Break começam dia 25

• Testemunhas de Coffee Break podem responder por associação criminosa, aponta Gaeco

• Vereadores querem ter acesso a relatório final da Coffee Break

No dia 30 de dezembro de 2015, o Promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) oficializou pedido de representação criminal contra jornalista e ex-assessor do prefeito afastado Gilmar Olarte, Eliezer David de Medeiros. 

O documento, também remetido à Corregedoria Geral do Ministério Público, trata-se de pedido formal para que o jornalista seja responsabilizado criminalmente por calúnia e difamação. Segundo documento assinado por Marcos Alex, no dia 28 de dezembro de 2015, o ex-assessor de Olarte realizou postagens ofensivas ao promotor que caracterizam "ataques pessoais" no intuito de "denegrir imagem do promotor".

Conforme documentos anexos ao pedido pelo promotor do Gaeco, as postagens publicadas no perfil pessoal do jornalista na rede social Facebook falam de um suposto afastamento de Marcos Alex do Gaeco que teria sido motivado por "desvio de conduta". "Desvio de conduta teria sido causa do afastamento...As informações que circulam nos "intra muros", é de que ilustre senhor,doutor, promotor, Marcos Alex está denunciado junto à Corregedoria do Ministério Público Federal por uso indevido e ilícito de "diárias" [...]".

No pedido, o promotor ressalta que todos documentos referentes a sua declaração de renda são entregues anualmente à Procuradoria Geral de Justiça para preencher quesitos legais de transparência e que as viagens feitas pelo promotor foram para cumprir mandados dentro de operações do Gaeco. 

Coffee Break

Marcos Alex é promotor responsável pelas investigações da Operação Coffee Break, deflagrada em agosto de 2015 com intuito de apurar se houve formação de esquema, por parte de políticos e empresários, para compra de votos de vereadores com objetivo de garantir cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), fato que ocorreu em março de 2014. O relatório da operação foi entregue no final de 2015 à Procuradoria Geral de Justiça. 

 

Polícia Civil prende três suspeitos e apreende 62 quilos de maconha, em Dourados
Polícia
há 24 segundos

Polícia Civil prende três suspeitos e apreende 62 quilos de maconha, em Dourados

"Para Luiza Trajano se tornar candidata, é um pulo", diz Kassab
Economia
há 24 segundos

"Para Luiza Trajano se tornar candidata, é um pulo", diz Kassab

Estação meteorológica é instalada no CT de Sorriso
Agronegócios
há 4 minutos

Estação meteorológica é instalada no CT de Sorriso

Com Orçamento de 2021 atrasado, Congresso começa discussões sobre LDO de 2022
Economia
há 4 minutos

Com Orçamento de 2021 atrasado, Congresso começa discussões sobre LDO de 2022

Polícia russa deteve 1.784 pessoas durante manifestações pro-Navalny
Variedades
há 5 minutos

Polícia russa deteve 1.784 pessoas durante manifestações pro-Navalny

Obras de Infraestrutura do Jardim Carandá em ritmo acelerado
Política
há 5 minutos

Obras de Infraestrutura do Jardim Carandá em ritmo acelerado